É verdade que a maioria dos gatos realmente não gosta de banhos e pode achar essa uma experiência muito estressante.

Todavia, há ocasiões em que o banho é inevitável, principalmente em situações nas quais o animal não consegue fazer a higienização por conta própria, quer seja porque possui pelagem muito longa, quer seja porque foi exposto a locais de muita sujeira ou possui alguma doença de pele para as quais os banhos medicamentosos são recomendados.

Por outro lado, as escovações rotineiras são essenciais nos animais com pelagem longa, fazendo um papel crucial na manutenção da qualidade da pelagem, evitando a formação de nós e dermatites.

Infelizmente esses gatos ficam muito estressados quando são levados a ambientes de banho e tosa, principalmente onde existem muitos cães também.

Uma vez que o mercado de gatos nos Estados Unidos, que é considerado o padrão mundial, é maior que o de cães (lá existiam 89,7 milhões de cães e 94,2 milhões de gatos – fonte: https://www.statista.com/statistics/198102/cats-in-the-united-states-since-2000/ – em 2017), o mercado brasileiro tem um alto potencial de crescimento, de forma que já começam a existir locais específicos para o banho exclusivo em gatos sem o estresse da presença de cães no mesmo espaço.

Os gatos são animais de personalidade forte e sentem-se mais seguros quando estão em ambientes que lhe trazem conforto, portanto é essencial que os procedimentos de banho neles sejam sempre feitos sem barulho excessivo.

Nesse ponto, novas tecnologias como as caixas eletrônicas de secagem são uma inovação maravilhosa, já que os animais não necessitam de tanta manipulação para uma secagem efetiva da pelagem.

Com isso, os procedimentos passam a ser mais rápidos, e os gatos acabam acostumando-se com essa rotina na sua vida.

Graduado em Medicina Veterinária pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1991). Mestre em Ciência Animal pela Universidade do Oeste Paulista (2013), Especialista em Clínica Médica e Cirúrgica em Cães e Gatos pela Universidade Federal do Paraná – Campus Palotina(2008) e em Marketing e Propaganda pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Cascavel (1999). Professor Celetista no Centro Universitário Dinâmica das Cataratas nas disciplinas de Patologia Clínica Veterinária e Anestesiologia Veterinária (2012-2016). Pós-graduando em Gestão Empresarial pela FGV. Atualmente trabalha como Clínico e Cirurgião Geral na PetBrazil Clínica Veterinária em Foz do Iguaçu-PR. Desenvolve atividades de Responsabilidade Técnica e manejo de cães de detecção em vários estados do Brasil. Tem experiência na rotina de atendimento de cães e gatos há 28 anos ininterruptos.

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião