100f: Quando iniciou sua carreira até chegar ao cargo de secretário de Obras?

Luis Cezar Furlan: Sou formado em Arquitetura e Urbanismo, com pós-graduação em Gestão Pública e Auditoria e Controladoria da Administração Pública. Tenho 53 anos, sou casado e pai de dois filhos. Ingressei na carreira pública em 1991, fui designado para trabalhar na Secretaria de Obras desde o princípio, passando por vários setores dentro da secretaria que é responsável por obras em Foz. Ao longo desse tempo fiquei à frente de alguns departamentos e por fim, em 2019, fui convidado pelo prefeito para ser responsável pela secretaria. Confesso que meu objetivo nunca foi ser secretário, não almejava isso, mas dada as circunstâncias e se tratando do prefeito Chico aceitei o convite.

Antes disso, trabalhei no setor de galeria de águas pluviais e departamento de manutenção da Prefeitura. Fiquei um pequeno período como diretor de iluminação pública no inicio da gestão do Chico, depois assumi a diretoria do departamento de manutenção junto à Secretaria de Obras, que envolve toda a manutenção de carros, veículos pesados, calçadas, enfim tudo o que é ligado a esse setor.

Luis Cezar furlan - secretário de obras de Foz
Cezar é o atual secretário de Obras de Foz. (Foto: 100fronteiras)

100f: O que compete a Secretaria de Obras?

Luis Cezar Furlan:  A dinâmica da secretaria é muito pesada. Porque as pessoas imaginam que tudo que é feito de obras na cidade é a Secretaria de Obras que faz, mas a Secretaria de Obras apenas executa, porque dentro das caixinhas da Prefeitura está a caixinha que se chama planejamento e a Secretaria de Planejamento é quem planeja, faz os projetos, planilhas orçamentárias, manda isso pra licitação e só depois de licitado vem pra Secretaria de Obras pra execução dessa obra.

O que nós fazemos dentro da Secretaria de Obras é a parte dos asfaltos, porque temos uma diretoria de pavimentação que faz os projetos e nós executamos dentro da secretaria. Temos um núcleo de criação do projeto e um de fiscalização. Além deste departamento o prefeito implantou no inicio de sua gestão a tão sonhada e prometida  usina de “PMF”, pré-misturado a frio de asfalto, que propiciou fazer asfalto em vários bairros da nossa cidade, também fazemos a compra de “CBUQ”, concreto betuminoso a quente, para que possamos ter mais versatilidade  de aplicação com mais de uma equipe fazendo asfalto. E isso consome muito recurso, muita mão de obra e muito tempo.

CMEI em Foz

Com relação as obras civis são escolas, CMEI’s – Centro Municipal de Educação Infantil, UBS’s – Unidade Básicas de Saúde, campos de futebol, praças e ciclovias, além de reformas que são contratadas.  Essas obras são diretamente ligadas a Diretoria de Obras onde temos um núcleo de engenharia que faz a fiscalização dessas obras, que neste mês mesmo com pandemia chegamos a aproximadamente 40 obras em andamento. Também na parte ambiental estamos fazendo UVR’s -Unidades de Gerenciamento de Resíduos, que são no total seis unidades, todas com pareceria da Itaipu, três finalizadas e três em andamento.

As parcerias com o Governo do Estado, Governo Federal e Itaipu para a execução desses projetos são de uma importância do ponto de vista financeiro e também do ponte de vista de credibilidade, pois é prova que o governo municipal consegue a proximidade e o diálogo com estes entes.  

100f: Como a Secretaria de Obras é formada?

Luis Cezar Furlan: Temos em torno de 26 a 30 servidores dentro do Prédio do Bordin, que se dividem entre atendimento e diretorias. A Secretaria deObras é composta por seis diretorias que são: Diretoria de Iluminação Pública, Diretoria de Manutenção Viária, Diretoria de Obras, Diretoria de Produção Asfáltica, Diretoria de Serviços e Manutenções e Diretoria de Pavimentação.

100f: Quais obras em Foz estão sendo desenvolvidas atualmente?

Luis Cezar Furlan: Temos bastante obras, que planejamos no final do ano passado, que começaríamos nesse ano, porque esperávamos que a pandemia baixasse e a cidade voltasse a um “normal”. Algumas que tínhamos vislumbrado era a extensão da Avenida João Paulo II, porque é uma avenida importante de ligação para quem está chegando à cidade pelo aeroporto ou mesmo quem quer desviar do centro. Essa obra já está acontecendo a nível de projeto e agora estamos buscando viabilidade financeira.

Obras de asfalto em Foz

Temos também a ligação da Rua Jorge Sanwais com a construção de uma ponte no bairro Maracanã e abertura desta rua perpassando por todos os bairros até chegar ao bairro Dona Fatima Osmam, na região Leste, desafogando as outras avenidas da cidade. Para isso acontecer antes tem que fazer as indenizações necessárias que vem antes de qualquer inicio de obra.

100f: Qual o orçamento da Secretaria de Obras para esse ano?

Luis Cezar Furlan: Estava estimado para 2020 uma arrecadação em torno de R$ 1 bilhão. Desse valor mais de R$ 600 milhões consome educação, saúde e segurança. Então sobra em torno de R$ 400 milhões para as demais secretarias. Assim, a Secretaria de Obras acaba ficando com R$ 150 milhões por ano, o que não é muita coisa.

100f: Qual a importância da parceria com a Itaipu para a execução de obras em Foz?

Luis Cezar Furlan: Nós vemos a Itaipu fazendo aquilo que ela realmente tinha como propósito lá atrás quando foi construída. Talvez ao longo dos anos não vimos isso acontecer da forma que deveria. Mas hoje a Itaipu tem um olhar para Foz do Iguaçu macro nunca vista anteriormente. Porque sempre houve parceria com a Itaipu, mas as coisas eram muito pontuais. No entanto hoje vemos a Itaipu colocando a mão sobre a cidade e repaginando a cidade com importantes obras estruturantes.

Atualmente estamos em conversa com a Itaipu para o projeto da Beira Rio com possibilidade de aporte financeiro da Itaipu para contratar os projetos. Porque a grande dificuldade em conseguir parceiros é não ter o projeto finalizado para poder mostrar ao parceiro. A Itaipu nos passou o interesse em fazer a interligação da ciclovia da Tancredo Neves até o viaduto. Porque o município vai fazer uma ciclovia do terminal até o viaduto, e para isso iremos fazer a ligação das duas e um acesso ao Mercado Municipal. Além disso, naquele antigo posto de gasolina próximo ao viaduto da Tancredo Neves irá ser construído um Centro Integrado de Segurança Pública que está em processo de licitação e terá apoio financeiro da Itaipu. Depois de pronto será entregue pra Polícia Militar que irá tomar conta desse centro.

E essa ligação da ciclovia será interligada também com a ciclovia da marginal da BR 277 e com a Avenida Beira Rio. Porque nosso sonho é que essa obra da Beira Rio tenha alguns mirantes e uma ciclovia que saísse da praça da Marinha, fosse até a 277 e se integrasse ao Jupira. Então estamos trabalhando juntamente com a Secretaria de Planejamento e com as demais secretarias que competem a isso para que possamos concretizar esse projeto.

Hoje temos um aporte de aproximadamente R$ 4 milhões só para fazer o projeto. Depois disso teremos todos os orçamentos e aí iremos precisar de apoio financeiro para executar essa e demais obras em Foz.

É uma obra que trará mobilidade urbana e também reforçará o turismo, porque hoje as pessoas que vem a Foz não conseguem enxergar o rio Paraná. Apenas conseguem ver se estiverem em cima da Ponte da Amizade ou em algum dos clubes que ficam próximo ao rio. Por isso estamos pensando nesse projeto para que tenham mirantes na Avenida Beira Rio e uma ligação com o rio Monjolo, por meio de passarelas que as pessoas possam sair da terceira pista da JK e chegar até um mirante e poder contemplar a beleza daquele local.  

100f: Como você vê os principais desafios da gestão?

Luis Cezar Furlan: Qualquer pessoa que entre no setor público não vai se acostumar com toda a morosidade, com a tramitação das coisas no serviço público. Porque tudo o que você faz hoje não pode ficar dependente de uma ou duas pessoas. Ela tramita por vários setores até ser finalizado. Então essa morosidade dentro do setor público é necessária, mas irrita, pois às vezes você está com o projeto em andamento ou a obra acontecendo e a obra para devido algum imprevisto e é muita burocracia, demora para ser resolvido. E isso é a grande dificuldade nossa para fazer as coisas acontecerem, porque o sistema trava. Com isso frustra o nosso trabalho.

Obras em Foz

As maiores demandas que chegam a secretaria é a questão dos asfaltos, isso porque a população quer ser atendida na sua individualidade, o que a população não entende é que tivemos o maior programa de asfalto que a cidade já teve nesses últimos três anos, com mais de 300km. E isso tudo vem de um planejamento de um orçamento, mas o cidadão reclama que a sua rua não foi asfaltada ainda, sendo que todos os locais que ele passa na cidade estão asfaltados e isso beneficia ele também. Então às vezes você não é atendido na sua individualidade, mas no conjunto da cidade sim.

Hoje temos as áreas rurais asfaltadas e de acordo com o plano de governo do prefeito o projeto é asfaltar todas as ruas dos bairros de Foz.

100f: Uma queixa que ouvimos muito da população é o asfalto ruim na Avenida Paraná. Existem melhorias recorrentes no local?

Luis Cezar Furlan: Sim, ele é feito, mas a base daquele asfalto não foi projetada para aguentar essa carga pesada de caminhões. É uma avenida com mais de 40 anos, assim como a Av. das Cataratas que não suporta o peso dos caminhões que passam lá. Para isso, temos um projeto de obras estruturantes para a Av. das Cataratas do trevo do Carimã até o Boicy para ser reestruturada a base dela, porque daí o trafego pesado não estará mais passando por cima dela, assim como na Paraná. Sabemos dessa condição, mas hoje qualquer investimento que você fizesse ali ao longo de dois, três anos se perderia porque os caminhões continuam a passar. Só será possível fazer isso após a Perimetral ficar pronta.

100f: Como o senhor visualiza esse ano para a Secretaria de Obras?

Luis Cezar Furlan: Esperamos concretizar essas parcerias com a Itaipu, Caixa Econômica e dar continuidade as 40 obras que estão em andamento. Também esperamos que as obras de pavimentação não parem, porque isso gera melhorias para os bairros e a área de construção civil contribui com a economia da cidade.

Ponte da rua Guaraqueçaba
Ponte da rua Guaraqueçaba.

Além disso, torcer para que até o final do ano a pandemia diminua em números consideráveis e assim a vida siga para que as pessoas voltem a vida “normal”e a economia gire.

Temos uma equipe pequena, mas aguerrida para dar seguimento a esses trabalhos de desenvolvimento da cidade com apoio incondicional do prefeito Chico Brasileiro para construirmos uma cidade cada vez melhor e com qualidade de vida para cidadão iguaçuense que serão os maiores beneficiados.

Leia Também

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

7 Comentários

Deixe a sua opinião

  1. Esse prefeito é um zero a esquerda, só jogou piche nós bairros pobres para ganhar votos e a reeleição,e o povo besta , votou nele. Uma cidade como foz não tem uma praça decente. Tão esperando a Itaipu fazer é !!! Pouca vergonha dos políticos de Foz do Iguaçu.

  2. É “morositdade”, não “amorosidade”. Fora isso, parabéns à equipe do prefeito que tem feito as obras andarem!

  3. FIQUEI ENCANTADA COM A FALA DO SECRETÁRIO LUIS CEZAR FURLAN, MUITA COMPETIÇÃO E SABEDORIA NO QUE FALOU , OUÇO FALAR QUE ESSA CIDADE É CONCEITUADA PIR SER ORGANIZADA,E COM UMA PESSOA COMO VOCÊ CEZAR NÃO SO A CIDADE TEM A GANHAR ,MAS AS PESSOAS QUE MORAM AI E OS TURISTAS. TRABALHO NA PREFEITURA AQUI BAHIA SOU PEDAGOGA, TENHO MUITA VONTADE DE CONHECER ESSA CIDADE E AGORA ,MAS AINDA.
    PARABÉNS AO PREFEITO PELA SABEDORIA DE TER ESSE OLHAR HUMANO E PROFISSIONAL DE ESCOLHER ,O LUIS CEZAR NESSE CARGO .
    SECRETARIO LUIS CEZAR FURLAN PELO PROFISSIONALISMO E A HUMILDADE QUANDO FALOU QUE É PRECISO TRABALHAR EM AMOR ENTRE COLEGAS DE TRABALHO .
    PARABÉNS AO PREFEITO E SUA GESTÃO.