Em fevereiro, o Ministério da Infraestrutura do Governo Federal apresentou aos deputados da Assembleia Legislativa do Paraná o estudo preparado para as concessões de pedágios nas rodovias pelos próximos 30 anos. 

O contrato atual com as concessionárias vence em novembro de 2021 e por isso estuda-se um novo modelo de pedágio.

Romanelli enfatiza que a Assembleia Legislativa do Paraná segue no processo de sensibilização da sociedade, e nesta semana iniciou uma campanha nos meios de comunicação para mobilizar os paranaenses em torno de uma proposta que seja adequada ao Estado.

“Vivemos um momento importante, que vai interferir na história do Paraná pelos próximos 30 anos. Todos devem estar mobilizados. Queremos uma coisa simples e objetiva: licitação pelo menor preço de tarifa e com garantia real da realização das obras”.

Possível pedágio Marítimo

Além do modelo híbrido, com a cobrança de taxa de outorga, o Governo Federal pretende criar um “pedágio marítimo” no Canal da Galheta, que dá acesso ao Porto de Paranaguá. 

“A cada dia fico me perguntando por que nós paranaenses temos sido tão castigados pelo Governo Federal?”

Luiz claudio romanelli (psb)

O questionamento foi feito pelo deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) durante a sessão plenária de quarta-feira (28/04) da Assembleia Legislativa do Paraná.

Segundo o deputado, a medida irá acarretar mais custos para o setor produtivo do estado e do Brasil, já que o Porto de Paranaguá é o maior porto graneleiro do mundo. 

“Tenho a impressão de que o Governo Federal quer nos castigar com uma proposta absurda. Não bastasse o ‘Custo Paraná’ elevadíssimo na área da logística por conta dos pedágios nas rodovias agora querem aumentar ainda mais os custos, colocar um pedágio no mar para que os navios possam acessar o Porto de Paranaguá”.

Segundo pesquisa feita pelo deputado, houve no passado uma tentativa de fazer algo parecido no Porto de Santos, no litoral paulista, mas que foi rechaçada. “Tem uma experiência mal sucedida com isso que é na baía do Rio da Plata, em Buenos Aires, que onera profundamente o setor produtivo”, relatou.

A divulgação da possibilidade de criar um pedágio no acesso ao Porto de Paranaguá foi feita pelo secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários do Ministério da Infraestrutura, Diogo Piloni, em publicação em uma rede social.  A concessão do canal de acesso ao Porto faz parte do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Espaço publicitário

ALEP Covid 19

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião