Foz do Iguaçu abriga boa parte do Parque Nacional do Iguaçu, que se estende por aproximadamente um milhão de hectares de áreas naturais, sendo mais de 600 mil hectares de áreas protegidas e outros 400 mil em florestas ainda primitivas. E, além disso, é o berço das Cataratas do Iguaçu, uma das Sete Maravilhas da Natureza que encanta visitantes do mundo todo.

E se nós, iguaçuenses, somos tão privilegiados assim com essa riquíssima natureza, como anda nossa relação com ela? Você já parou para pensar quando foi a última vez que você tirou os calçados e pôs os pés na grama? Ou mesmo quando você juntou a família para um passeio ao ar livre embaixo das árvores? Se você é do time que sabe aproveitar as maravilhas naturais de Foz, parabéns, pois essa conexão com a natureza é essencial para a nossa saúde física e mental.

“O ser humano é natureza. Natureza não é aquilo que você vê, a natureza é você! Então, o que precisamos é lembrar que tudo é natureza, mesmo que ela esteja modificada para atender às nossas necessidades de sobrevivência e a outras necessidades. Acontece que criamos a ilusão de que existe uma separação, pois a maioria de nós não vive ‘dentro’ do que consideramos a natureza, ou seja, não estamos no meio de uma floresta ou vivendo no campo”, explica o biólogo, mestre em educação ambiental e professor de Kundalini Yoga Rodrigo Cupelli.

(foto: Nilton Rolin)

De acordo com ele, há vários estudos que comprovam que estar desconectado da natureza nos deixa mais propensos a desenvolver doenças físicas e mentais. “É muito saudável e recomendável tirar um tempo para ter contato com essa natureza, como passear em uma trilha, acampar, visitar um parque. Aqui na Tríplice Fronteira temos as Cataratas, um sonho de natureza na realidade e que às vezes passamos meses sem ir. Mas, mesmo que não vamos fazer um passeio na mata ou passar uns dias na praia ou no campo, podemos treinar nosso olhar para ver a natureza em toda a parte e se admirar com a natureza que está dentro de nós e nas pequenas coisas do cotidiano, como um inseto fazendo seu trabalho, um canto de uma ave, o nascer e por do sol, um ipê florido ou um pequeno broto nascendo. Cultivar esse olhar atento já é uma forma de meditação, inclusive”, esclarece.

Dicas para meditar em meio à natureza

Cupelli é especialista em meditação e sugere que meditar em locais distantes do barulho da cidade propicia inúmeras vantagens, pois é mais fácil concentrar-se. Segundo o professor, o silêncio e a ausência de luz artificial auxiliam na concentração. Além disso, quem desejar praticar a meditação pode seguir as dicas abaixo:

  • escolha um local seguro e adequado, onde possa relaxar sem se preocupar se será interrompido; se for em ambiente aberto, é necessário cuidar para que não esteja muito calor. Escolha um horário pelo começo da manhã ou já quase ao por do sol. Lembrando que nesses ambientes existem insetos como formigas ou mosquitos, então é necessário usar um repelente mais “natural”, se possível; e
  • procure escutar os sons ao seu redor, integrando esses sons a você, respirando calmamente e permitindo sentir o pulsar da vida dentro e fora.

O professor também destaca a importância de colocar os pés na grama, afinal isso ajuda a equilibrar a energia telúrica, a energia sutil que vem da própria terra, aliviando a carga negativa. “Estar em ambientes abertos e cheios de vida, mesmo que não seja para meditar, é por si só muito relaxante. Aproveite esse tempo para apreciar as pequenas e as grandes coisas que vê. A natureza é bela em seus mínimos detalhes e em suas máximas expressões. Observar a imensidão de um céu estrelado e, ao mesmo tempo, se encantar por uma florzinha que desabrocha em um cantinho de terra. A natureza é a nossa própria respiração”, acrescenta.

Vivendo o Parque Nacional do Iguaçu

Se já é bom curtir de vez em quando o ar puro do Parque Nacional, imagina trabalhar lá e poder ter esse contato com a fauna e a flora todos os dias. Esse privilégio é desfrutado com muita sabedoria peloadministrador e diretor da Cataratas do Iguaçu S/A, Adélio Demeterko. “É um privilégio estar num lugar como o Parque Nacional do Iguaçu. Sinto muitos benefícios em minha vida com essa conexão com a natureza. Os sentimentos de paz e tranquilidade estão sempre presentes. As energias da natureza têm um poder revigorante, e sinto que tenho mais equilíbrio emocional”, destaca.

(foto: Nilton Rolin)

Além disso, mesmo estando no parque todos os dias, Adélio relata que o sentimento é de ser sempre a primeira vez: “Todo dia você observa algo diferente na natureza do parque”. E não é para menos, pois a grande variedade de espécies animais e vegetais muda o cenário da unidade de conservação a todo momento, proporcionando experiências inesquecíveis.

Conecte-se

Estar em contato com a natureza é um presente que você dá a si mesmo, porque só há benefícios. Então aproveite os finais de semana de muito calor na fronteira para desfrutar esses espaços em meio à natureza. Seja no Parque Nacional, com uma visita às Cataratas do Iguaçu, ou mesmo um passeio de bicicleta ou caminhada pela cidade, respire fundo, coloque o mundo no mudo e conecte-se com aquilo que há de mais vital, o meio ambiente.

(Foto: Christian Rizzi)

“Procure se conectar! Tem várias atividades em contato com a natureza que são prazerosas e benéficas para a saúde física e mental. Ao invés de fazer a sua caminhada no meio urbano, experimente sair um pouco da rotina e ir para um lugar que tenha maior contato com a natureza”.

Adélio Demeterko, DIRETOR DA CATARATAS DO IGUAÇU S/A.

Planejamento de conquistas fisiológicas de bicicleta

Andar de bicicleta atualmente está super em alta na cidade. Para isso, o personal trainer Fábio dos Santos, o Gorila, oferece um pacote para os alunos que desejam explorar de bike as belezas das Cataratas do Iguaçu. Uma vez por mês, ele reúne um grupo de participantes que se encontram às 9h no Centro de Visitantes do Parque Nacional do Iguaçu. De lá eles partem para uma aventura em meio à natureza. “O objetivo dessa atividade é proporcionar ao aluno resultados positivos para saúde, performance e emagrecimento, uma experiência física e sensorial recreativa que envolve desafios, com riscos avaliados, controlados e assumidos. E que, além disso, proporcionem sensações incríveis, como liberdade, superação e bem-estar, tudo dentro dos conceitos de mínimos impactos em ambientes naturais”, ressalta Fábio.

Para participar, os interessados pagam um valor que inclui guia credenciado, bicicleta, capacete, alongamento e personal trainer.

Quem desejar participar desse passeio pode entrar em contato com o Fábio pelo WhatsApp (45) 99980-3322 ou e-mail fabiogorilapersonal@gmail.com.

(Foto: Christian Rizzi)

Parque Nacional do Iguaçu

  •  +55 (45) 3028-0888
  • Funcionamento: terça a domingo, das 9h às 16h
  • http://www.cataratasdoiguacu.com.br
  • contato@catarataspni.com.br 
  • Telefone: +55 (45) 3521-4400
  • *Os moradores de Foz do Iguaçu e dos outros 13 municípios vizinhos ao Parque Nacional do Iguaçu tem desconto de 90% no ingresso (pagam R$ 14,00) mediante o Passe Comunidade. Para isso precisam apresentar alguns dos seguintes documentos: comprovante de residência, título de eleitor, carteirinha de estudante com foto, carteira de trabalho, entre outros. 

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião