O ano novo está para começar, e claro nossas expectativas a ele são e devem ser superadas. Metas são traçadas e desejos para um ano de sucesso se iniciam. Mas sempre no mês de janeiro “subitamente” esquecemos delas e começamos um ciclo de procrastinação, concorda!?

Desejamos que nossos erros e planos não concluídos sejam mudados magicamente. E nossos objetivos sejam da mesma forma realizados.

Por isso, convidamos a psicóloga Samara Fernandes que é Terapeuta Cognitivo Comportamental, para nos auxiliar a entender nossa mente e como podemos evitar de sermos sabotados por nós mesmo no próximo ano novo.

Samara Fernandes nos disse que esse pensamento que temos “está mais relacionado a uma frustração de não conseguirmos lidar com os fracassos do que com as possibilidades de fazermos diferente nas próximas oportunidades.
E, através disso, impomos sugestões, por vezes, surreais de metas que não conseguiremos alcançar na tentativa de não querer aceitar quem somos.”

Ela continua: “O problema nisso tudo é que quanto mais planos fazemos tentando buscar aquilo que desejamos, não se permite ver aquilo que realmente necessitamos.”

A reflexão é: Aquilo que você coloca como meta é realmente aquilo que você precisa? Porque se não for, haverá sempre uma parte mais egocêntrica nisso tudo que dirá que você quer por algum outro motivo externo, mas não te moverá para de fato alcançar resultados.

Também convidamos o psicólogo Bruno Bizzotto, que trouxe algumas dicas básicas e fáceis para não ter desculpas na procrastinação. Assim você ficará pronto para aplica-las no novo ano que vai começar.

Promessas de virada de ano: Você costuma mantê-las?

Bizzotto comenta que “é comum que ao chegar o fim de ano, comecemos a pensar em mudanças e novos objetivos para o ano que se aproxima. Provavelmente já tenha acontecido com você de idealizar algum plano ou projeto nessa época, que acabou indo por água abaixo por conta do esquecimento. Pensando nisso, a seguir estão algumas dicas que lhes ajudarão a colocar em prática em 2021″.  

Dicas par atingir a meta

100fronteiras – Como posso iniciar minhas metas, para o ano novo?

Samara Fernandes – Não escolha um dia para começar sua meta. Escolha mudar a forma como você pensa e se comporta para atingi-la. Já percebeu que é muito mais fácil dizer que você vai começar algo na semana que vem do que começar algo de imediato?

Porque agir é muito mais trabalhoso que dizer. Preste atenção nas desculpas que você inventa para si para não iniciar agora e veja se não são as mesmas que são ditas todas as vezes que você desiste no meio do caminho. Inicie pela forma que você enxerga sua meta: ela é algo bom ou um caminho das pedras?

Bruno Bizzotto – Antes de tudo, é preciso definir o que se deseja alcançar, considerando uma possibilidade realista de se cumprir. Por exemplo, não seria lógico uma pessoa prometer a si mesma alcançar uma promoção no trabalho, se atualmente não está tendo uma boa produtividade. Nesse caso, seria mais conveniente estabelecer a meta de melhorar seu desempenho, para posteriormente priorizar sua promoção. As promessas realistas dependem dos recursos e da disponibilidade que se possui.

100fronteiras – Como não procrastinar minhas metas para o próximo ano?

Samara Fernandes – Se você não tem o hábito de realizar metas não comece com planos impossíveis, pois sua mente vai encarar como um grande obstáculo e acionar o botão autossabotagem na primeira oportunidade.

Comece com pequenas metas e avance para as maiores. Conforme for alcançando as pequenas, automaticamente se sentirá mais motivado a avançar para as mais difíceis.

Divida a meta em partes. Por exemplo: muitas pessoas viram o ano com a meta de perder vários quilos no ano, mas não definem como isso vai acontecer.

Se o seu desejo é perder 10 quilos não comece de forma radical, estabeleça que você vai se esforçar para perder ao menos um quilo ao mês. Essa é a sua meta.

Estabeleça uma rotina de exercícios e alimentação de forma programada para que isso aconteça. Não espere que isso ocorra de forma mágica sem realizar mudanças e programar a rotina. Esse é apenas um exemplo clássico.

Mas é preciso compreender que muitas vezes não vamos nos sentir motivados, arrisco dizer, inclusive, que na maioria das vezes não vai acontecer o desejo, por isso precisamos levantar e fazer, pois, é fazendo que desenvolvemos o prazer e o hábito.

100f. – Como fortalecer minha mente em um momento onde estamos exaustos mental e fisicamente?

Samara Fernandes – Coloque ao lado de cada meta os pontos positivos, enumere a maior quantidade possível. Cole em uma parede, agenda, ou tela de computador onde possa visualizar todos os dias. Faça uma reflexão da sua situação atual e uma visualização de onde pretende chegar.

Feche os olhos e veja como se sente agora. Não quer mais estar onde está, não é?! Todas as noites imagine a meta já alcançada e como se sente após a realização. Desfrute desse sentimento. Visualize tudo que pode fazer e alcançar através dessa meta. Fantasie!

Tenha em mente que o sentimento de agora não é permanente e, que muitas pessoas vivenciam ou vivenciaram essa sensação, mas ela é temporária. Você não vive de forma isolada essa desesperança do momento.  

É perfeitamente compreensível que talvez alguns planos ou a maioria deles tenham ficado de lado devido ao enclausuramento. Não se julgue por isso. Veja como um período de crescimento emocional, que não foi perdido e, sim, utilizado para evoluirmos.

Bruno ainda reforça que é necessário criar um planejamento e praticar a disciplina. Com essas dicas:

1. Criar um planejamento    

Estratégia e organização aumentam a probabilidade de realização. Para isso, é possível criar uma planilha com os dias e horários para se dedicar ao objetivo desejado. Também se pode responder perguntas como “de que forma trabalharei nisso?”, “quando trabalharei nisso?”, “onde trabalharei nisso?” e “aonde desejo chegar com isso?”. Essas perguntas ajudar-lhe-ão a definir um ponto de partida. Além disso, sugere-se buscar meios que aproximem da meta. Usando o exemplo acima, talvez uma boa estratégia seria iniciar um curso específico na área ou aprimorar alguma dificuldade específica. Quanto mais claro e definido estiver o planejamento, mais ele será levado a sério.       

  
 2. Disciplina e prática  

Por fim, o último e mais desafiador passo é a prática. De nada adianta estipular um objetivo, se não há ação. Para que o desejo de mudança se materialize, é necessário sair do campo da imaginação. Mudança exige disciplina e prática, e não há outra forma de se chegar à algum lugar, senão por esse caminho. E você, já pensou o que gostaria de alcançar ou melhorar no próximo ano?

Com esses dois profissionais, é impossível você ainda ter dúvidas de como montar suas metas e ativa-las no próximo ano. E claro, mandar a autossabotagem embora!

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião