O responsável pela criação é o jovem empresário Diego Gussulli, de 30 anos, que iniciou o trabalho como um “hobby”, mas logo viu a oportunidade de investir no ramo de cervejaria. “O mercado de cerveja artesanal estava em alta fora do país e chegando muito forte nas capitais. Depois de muito estudar o mercado, e fazer diversas viagens para conhecer várias fábricas e entender esse mundo cervejeiro, decidimos entrar de cabeça. Nossa cidade e região merecia e merece muito mais cervejarias, pois passam turistas do mundo inteiro e, com isso, podemos mostrar nossos produtos feitos na terra das Cataratas”, explica.

A Cervejaria Kiun existe há aproximadamente cinco anos, sendo que os dois primeiros anos foram testando o mercado em uma planta de produção pequena. Já em 2021 Diego conta que expandiram para uma planta de produção maior para atender todos os cantos da cidade.

Curiosidade sobre o nome Kiun

O nome originalmente era UNIK, porém a legislação de registro de marca não aceitou, por ter uma outra cervejaria com nome parecido, então foi mudado para KIUN, que não tem um significado certo, mas foi ideia do pai e sócio de Diego, Jussimar, que em meio a uma gravação de podcast sobre cerveja, embaralhando todas as letras formou-se esse nome curto e fácil.

Cervejaria Kiun
A Cervejaria Kiun foi a responsável pelo chopp no evento Falls Sunset do Grupo 100fronteiras.

Hoje, a Cervejaria Kiun possui uma fábrica de 400 m² de área útil, com todos os requisitos exigidos pelo Ministério da Agricultura. “Trabalhamos com seis estilos de chopp e cerveja que são fixos; e produzimos o ano todo: Pilsen, Viena Lager, Session Ipa, Witbier, Dry Stout e Catharina Sour (primeira cerveja homologada brasileira para mundo inteiro). Depois temos os sazonais que saem em datas comemorativas ou em meses específicos. São lotes que quando acabam tem que esperar o outro ano para poder tomar”, destaca Gussulli.

Os produtos da marca estão disponíveis emalguns bares e barbearias parceiras que revendem o chopp, porém Diego destaca que também vendem no bar da fábrica que abriu ao público em janeiro deste ano. “Em nosso bar você terá a experiência de provar e aprender sobre cervejas dentro da fábrica, pois o bar é anexo ao local de fabricação. Ali venderemos em copos, garrafas, growlers e também barris para o público em geral”, ressalta.

Orgulho iguaçuense

Diego conta que no início a cervejaria era pequena, produzindo 1.000 litros por mês e hoje há um potencial de 20.000 mil litros por mês, um processo que não foi fácil. 

Cervejaria Kiun
Cerveja e chopp artesanal

“Devemos tudo primeiramente a Deus, aos clientes e amigos, sem eles nada seria possível, lógico que também vem junto o nosso lema que é levar um produto de qualidade com preço justo ao cliente final, onde conseguimos expandir nosso produto para toda cidade e região. Creio que o sucesso é resultado do nosso trabalho, que ao longo de todos esses anos vem melhorando, tanto nos processos quanto na utilização dos produtos de produção, com o intuito de chegar a um produto de excelência e qualidade ao consumidor. Até hoje o maior desafio é o público da cidade ‘acreditar’ e apostar no produto local. Sempre dão valor no produto de fora, que na maioria das vezes não chega com a mesma qualidade do produto fabricado aqui na cidade. Sempre falamos e reforçamos: a única viagem que seu chopp faz e deve fazer é da fábrica para sua casa ou para o seu evento”, finaliza.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião