Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP e o Conselho Federal de Medicina – CFM, organizam nacionalmente o Setembro Amarelo.

Dia 10 deste mês passou a ser, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

Cerca de 12 mil pessoas se matam, todos os anos, no Brasil.

No mundo todo,  mais de 01 milhão. Uma triste realidade.

E, agora, o apavoramento diário promovido pela imprensa, a geração do pânico, a diminuição da renda, o desemprego, a fome,  impulsionados pela pandemia, fazem aumentar a estatística, principalmente entre os jovens e os pobres.

Mas, cerca de 96,8% dos casos de suicídio se relacionam a transtornos mentais, como a depressão, o transtorno bipolar e o uso de drogas.

Por isso, a campanha social do Setembro Amarelo é fundamental. Centenas de pessoas já participam de caminhadas e outras ações para a conscientização sobre este importante tema.

Diversos materiais de uso público, como “Diretrizes para a Divulgação e Participação da Campanha Setembro Amarelo”, materiais online para download, cartilhas (ex.: “Suicídio, Informando para Prevenir”) e  material para a imprensa são disponibilizados para salvar vidas.

A melhor forma de evitar o suicídio é tratar os possíveis transtornos psiquiátricos subjacentes com medicamentos prescritos por um profissional (antidepressivos, ansiolíticos, anti psicóticos) e psicoterapia.

O monitoramento, o apoio familiar, o diálogo aberto e o fortalecimento dos vínculos são fundamentais para prevenir.

É essencial restaurar a vontade de viver, incentivar sonhos e atividades prazerosas, lembrar e mostrar, constantemente,   que a pessoa não está sozinha e que tem o apoio que precisar independentemente do que esteja acontecendo com ela.

O telefone 188 (ligação gratuita) do Centro de Valorização à Vida está disponível 24 horas por dia para apoiar emocionalmente pessoas que pensam em desistir da vida.

Voluntários, de forma sigilosa, sem julgamentos, com respeito profundo, aceitação, confiança e compreensão estão prontas para ouvir quem pede ajuda.

Antoninho Ricardo Sabbi

Membro emérito da Sociedade Brasileira de Cancerologia e Mastologia. CRMPR-7093.

Comentários

Deixe a sua opinião