Já pensou se aventurar nas alturas da Ponte Tancredo Neves (Brasil – Argentina)? Ou até mesmo descer um paredão de pedras e depois se refrescar no Rio Iguaçu? Vem que te explico tudo sobre esse turismo alternativo na cidade.

O rapel é para todas as idades, inclusive iniciantes. Qualquer pessoa que não tenha pânico de altura consegue realizar a atividade, incluindo crianças a partir de 8 anos, acompanhada de um instrutor.

E para auxiliar nessa aventura, antes da descida o Grupo Track Rapel repassa todas as orientações necessárias. O tempo do passeio depende da quantidade de participantes, mas leva em média de 1h30min.

Os grupos podem ser formados por até 20 pessoas, após a descida do rapel, existe uma trilha na qual leva para pequenas cachoeiras no rio Tamanduá. Toda a atividade é guiada pela equipe.

Importante lembrar: é seguro e a equipe é experiente. O Grupo Track Rapel é formado por 7 pessoas, todos com experiência em altura: instrutor de trabalho em altura, outro alpinista industrial, um sargento do exército e os outros bombeiros militares.

São dois pontos em Foz: a Toca do Urubu, um paredão de pedra com 30m e a Ponte Tancredo Neves, com cerca de 80m de altura.

“Em Foz não tem muitos locais para esse tipo de atividade, mas nós fazemos excursões para outras cidades também. Fomos recentemente a Prudentópolis, fizemos um rapel de 196m de altura, sensacional.”

Diz Mohamed, do Grupo Track Rapel.

O que levar para o passeio?

É necessário ir de calçado fechado e adequado para a atividade, roupas leves e coloridas (ficam lindas nas fotos). Levar água, protetor solar, repelente e “xuxa” para amarrar o cabelo, para quem tem cabelo comprido.

A princípio, a atividade é feita regularmente todo fim de semana, durante a semana apenas por agendamento para grupos. O rapel na Ponte Tancredo Neves é feito uma vez por mês.

Para fazer o seu agendamento, acesse: trackrapel.

Sobre o Grupo Track Rapel

O Grupo Track Rapel começou a realizar essas atividades em 2016, e sempre chamavam os amigos, que foram postando nas redes sociais e cada vez mais pessoas foram se interessando.

“Até que paramos e pensamos, hoje não existe nenhum lugar em Foz do Iguaçu para praticar o rapel de forma regular, onde qualquer pessoa possa ir, sem ter material e conhecimento. Foi aí que decidimos investir na atividade”.

Desde então, o Grupo vem se dedicando ao Rapel em Foz, adquirindo materiais, treinamentos da equipe para o atendimento ao público e formalização da empresa.

Track Rapel
Grupo Track Rapel.

Comentários

Deixe a sua opinião