A Petrobras anunciou haverá redução de 2,6% no preço médio de venda de querosene de aviação (QAV), de 5,7% no preço médio de gasolina de aviação (GAV) e de 4,5% no do asfalto para as distribuidoras.

Os novos preços comecaram a valer nesta segunda-feira (1º).

A companhia explicou que os ajustes de preços dos combustíveis de aviação são mensais e definidos por meio de fórmula contratual negociada com as distribuidoras. 

A Petrobras comercializa o querosene e a gasolina de aviação produzidos em suas refinarias ou importados apenas para as distribuidoras.

“As distribuidoras, por sua vez, transportam e comercializam o produto para as empresas de transporte aéreo e outros consumidores finais nos aeroportos, ou para os revendedores. Distribuidores e revendedores são os responsáveis pelas instalações nos aeroportos e pelos serviços de abastecimento”.

Detalha a companhia.

Em relação ao mercado de ligantes asfálticos, os preços têm reajustes mensais, conforme previsto nos contratos com os distribuidores de asfaltos.

O impacto para os viajantes

Ainda é cedo para mensurar qual será o impacto no bolso dos viajantes. De acordo com a ABEAR (Associação Brasileira das Empresas Aéreas), 40% do valor das passagens aéreas é composto pelo preço do combustível.

Então a diminuição no preço da passagem é possível mas depende de outros fatores também, como os custos trabalhistas e tributários e a recuperação do prejuízo do setor devido a pandemia.

Queda no preço de querosene pode baratear passagens aéreas



Comentários

Deixe a sua opinião