O feriado do Dia da Padroeira e Dia da Criança (12 de outubro) já garante mais 72% de ocupação da rede hoteleira de Foz do Iguaçu, formada por 28 mil leitos. Os registros SindiHotéis apontam a média de 61% nas reservas nos 176 estabelecimentos de hospedagem – resorts, hotéis, hostels e pousadas – confirmadas até quarta-feira (05).

Os hotéis de quatro estrelas estão com mais de 72% das camas já comercializadas. Em seguida, de acordo com a pesquisa, aparecem os cinco estrelas com 70% e três estrelas, com 66% de reservas. Apesar do período de baixa temporada, a ocupação dos hotéis é considerada muito boa pelo presidente do SindHotéis, Marcelo Martini. “Foz tem uma agenda de 40 eventos que se intensifica de outubro até o final do ano”.

Isto está garantindo, segundo Martini, uma movimentação muito boa e ocupação na média acima de 60%. “Sem contar que agora, no mês de novembro, teremos dois eventos com previsão de trazer cinco mil pessoas para Foz do Iguaçu”, disse Martini ao se referir ao Congresso da Faciap e Governo 5.0, organizado pela AMP (Associação dos Municípios do Paraná) e Sebrae.

“Foz do Iguaçu está em todas as campanhas internacionais da Embratur e também nas campanhas do Estado. É o destino preferido dos brasileiros e está voltando a receber turistas estrangeiro, com a ampliação dos números de voos no aeroporto. Já é um ótimo segundo semestre e será em um excelente 2023”, disse Paulo Angeli, secretário municipal de Turismo, Projetos Estratégicos e Inovação.

Grandes obras

O crescimento da atividade já aponta números do período pré-pandêmico – o Parque Nacional do Iguaçu deve chegar a um milhão de visitantes (996 mil até setembro) na próxima semana – e o retorno dos investimentos privados estimados em R$ 2 bilhões até o próximo ano. “A cidade, os hotéis, atrativos e novos empreendimentos poderão receber no médio prazo, de três a dez anos, três milhões de visitantes, um milhão a mais do nossa maior visitação que foi em 2019”, disse o prefeito Chico Brasileiro.

Segundo ele, somados aos investimentos privados, Foz do Iguaçu está recebendo um pacote de obras que superam R$ 1 bilhão de investimento. “Já temos a conclusão da ponte da integração e agora, começamos a duplicação da Avenida das Cataratas, o nosso principal corredor turístico”.

Chico Brasileiro afirma ainda que a prefeitura também está fazendo a revitalização de outras vias que formam o modal do turismo, entre elas as avenidas Costa e Silva, General Meira e República Argentina. Nos planos do prefeito, está ainda a requalificação das avenidas Paraná e Juscelino Kubitschek, a duplicação do trecho urbano da Avenida das Cataratas e construção do viaduto do CTG Charrua sobre a BR-277.

Mais obras

Parte dessas obras deve integrar um novo banco de projeto que contará com o apoio da Itaipu Binacional que aportou financeiramente as grandes obras de infraestrutura em Foz e na região. “Não canso em dizer que a Itaipu é e continuará sendo a grande parceira da cidade”.

Algumas das obras listadas, segundo Chico Brasiliero, devem esperar a conclusão das já iniciadas. Ele cita como exemplo, a duplicação do trecho urbano da Avenida das Cataratas, que vai esperar as conclusões da Perimetral Leste e dos trevos e acessos à Ponte da Integração. “Há duas considerações. Primeiro, não podemos sufocar o trânsito na região e comprometer a pista de rolamento com o tráfego de caminhões”.

Outro exemplo é a construção do viaduto da BR-277 que depende também do resultado da nova concessão da rodovia. “Além do turismo, Foz do Iguaçu já é um polo logístico de mercadorias importadas e exportadas. Nos próximos meses, será definida a licitação do novo porto seco que ficará no entroncamento da Perimetral Leste e BR-277. A economia de Foz se fortalece nesses dois polos: de turismo e de logística – hubs inéditos na América do Sul”.

Comentários

Deixe a sua opinião