O presidente do Sindhotéis de Foz do Iguaçu, Marcelo Martini e a consultora em hospitalidade, Karin Pan, visitam hotéis e outros estabelecimentos para entender as necessidades de cada estabelecimento de forma pontual.

Nesta quinta-feira, 10 de março, a equipe do sindhotéis foi recebida no Hotel SANMA pela gestora iguaçuense, Isabel Salvatti e seus colaboradores.

Um dos hotéis mais tradicionais de Foz do Iguaçu ganhou ainda mais sofisticação em todas as áreas, o luxo e a modernidade também estão integrados no rústico, um toque de pura elegância. É o SANMA, também conhecido como hotel San Martin, localizado a poucos metros da entrada do Parque Nacional do Iguaçu, uma região privilegiada em meio a mata atlântica.

Logo na entrada o hóspede já se sente seguro, tem uma guarita onde é feito o controle de quem entra e sai do hotel, tudo de maneira rápida e eficiente, na entrada uma pedra gigante simboliza as primeiras reuniões para a construção da Itaipu Binacional, ao lado uma cascata que ganha força já demonstrando a boa energia do local.

Hotel SANMA
Hotel SANMA. Foto: Divulgação.

O visitante se surpreende desde o primeiro contato com os mensageiros, até a recepção, seguindo os padrões da hotelaria internacional, “espumante ou água saborizada” com um sorriso de pura simpatia, assim a hostess recebe o hóspede, ao som do piano ao vivo.

O check-in é feito de uma forma leve, orgânica e descontraída, quebrando as formalidades, e que o conceito do próprio balcão do check-in propicia um ambiente agradável e mais personalizado, sentindo-se em casa, um atencioso mordomo fica a sua disposição, dando ainda mais glamour e acolhimento, o que todo hóspede precisa ao chegar de viagem, ser bem recebido e descansar para curtir os atrativos.

O SANMA tem sua marca registrada há mais de 40 anos, a frente do empreendimento está a empresária Isabel Salvatti, sempre atenta a tudo, tem a vivencia no dna ao administrar o hotel que conhece desde criança, seu pai Santo Salvatti, foi um dos empresários visionários e inovadores que a cidade já teve.

Nossa intenção sempre foi preservar essa estrutura colonial, a madeira nos remete a um dos ciclos de Foz do Iguaçu, a extração da madeira, onde isso era abundante na cidade, resgatamos essas texturas e histórias, fizemos poucas modificações, na decoração trouxemos modernidade nos móveis, o que ficou leve com destaque para a estrutura original”. Destaca Isabel.

Quanto a hospitalidade, Isabel cita os colaboradores, alguns com mais de 25 anos de casa.

estamos sempre nos aprimorando, e nossos colaboradores encararam de uma forma muito legal esse novo conceito de hotel, que saiu da linha turística comercial, para um hotel onde a percepção do cliente é individualizada, e todos se sentem muito valorizados por ter passado por essa transformação, sem o trabalho da equipe nada disso seria possível, não adianta ter um hotel bonito, ele tem que ter alma”.

Equipe SANMA
Foto: Divulgação.

Um dos corredores principais do hotel, que já pode ser denominado corredor cultural, tem um busto do general San Martin, e do fundador do hotel, Santo Salvatti, além de quadros que chamam atenção pela sua beleza e história dos índios Tupi Guarani, desde Naipi e Tarobá, como a história da erva mate, que também foi um dos ciclos econômicos de Foz, até a lenda do amor indígena.

Cada quadro desses conta uma lenda, essas telas estavam guardadas há 10 anos, não estavam sendo valorizadas, todas foram pintadas por uma artista da Iugoslávia que vivia em Misiones – Argentina”. Esclarece Isabel.

As paredes dos vários corredores, são emoldurados com outras obras de arte, todas restauradas que contam a história do hotel.

Os apartamentos ganharam decoração contemporânea, peças clássicas e indígenas deixam o ambiente ainda mais acolhedor, pequenos mimos para o hóspede, como um par de chinelos, delicadamente envoltos numa fita com um laço.

 As suítes são temáticas, confortáveis, cores modernas, agradáveis e espaçosas, com facilidades como uma cafeteira para melhor desfrutar do seu bem estar.

Mário Albuquerque, gerente operacional do SANMA, diz que esse novo conceito de hotel exclusivo, é inovador.

nos preocupamos mais com o bem estar do hospede do que com o lucro, queremos que o visitante se sinta como uma extensão da sua casa, que ele tenha tudo a sua disposição, todos muito prestativos fazendo o que gostam, nada forçado”. O hotel ainda passa por pequenas adequações, contando com 98 apartamentos, sendo que 35 serão transformados em suítes.

Para Karin Pan consultora do Sindhotéis, o SANMA traz pura elegância; “o charme do rústico com o contemporâneo dentro de um conceito internacional de alto padrão mantendo o legado histórico”.

Isabel Salvatti e Karen consultora hotel SANMA

Marcelo Martini, diz que o Sindhotéis está buscando uma aproximação com todos os seus associados, nos surpreendemos como o SANMA, que faz parte da nossa história, do nosso contexto do destino, se transformou ao longo dos anos, chegou a sua excelência em qualidade, atendimento e prestação de serviços ao turista que busca algo requintado na fronteira, as visitas irão nos dar embasamento as necessidades e demandas da categoria, e nós como representantes, buscaremos soluções no decorrer do nosso mandato”, finalizou Martini.

Comentários

Deixe a sua opinião