Com certeza você deve ter visto circular nas redes sociais, recentemente, a foto de uma idosa que passava protetor solar no rosto, mas não no pescoço. A imagem impactou os internautas devido a grande diferença da pele, o que ressalta a importância do uso do protetor solar, não apenas no rosto, como na região do pescoço e, claro, nas demais partes do corpo, principalmente durante a exposição ao sol.

Apesar de já estarmos na primavera e logo o verão chegar com tudo, o uso do protetor solar precisa ser constante, não apenas em época de sol forte. Não fazer o uso do protetor pode acarretar o câncer de pele.

Para reforçar a importância dos cuidados conversamos com a biomédica esteta, Dra. Fernanda Ulrich, que esclareceu as principais dúvidas sobre o protetor solar.

Com que idade deve-se começar a usar protetor solar? Por que?

Pode ser usado a partir dos 6 meses de idade. Bebês antes de completarem 6 meses não têm a capacidade de metabolizar e excretar os princípios ativos dos filtros, substâncias químicas que contém o mesmo.

Quais os principais tipos de protetor solar que existem?

Existem os protetores físicos e os químicos.

Físicos ou inorgânicas são composto por  dióxido de titânio e óxido de zinco, que formam uma barreira protetora na pele, contra os raios UVA e UVB, agindo como refletores e dispersando a radiação quando esta incide sobre a pele, sem absorver o protetor solar, assim auxilia na prevenção do fotoenvelhecimento.

Já o químico ou orgânico, tem em sua composição o octocrileno e o metoxicinamato. Eles penetram totalmente na pele, absorvendo a radiação ultravioleta, transformando-a em radiação inofensiva.

Para garantir a proteção, todos esses tipos de filtros solares devem ser aplicados 30 minutos antes da exposição solar.

Quais as principais regiões onde devem ser aplicadas o protetor?

Todas as áreas expostas ao sol devem ser protegidas, até mesmo quem trabalha em escritório precisa passar o protetor solar na face. As principais áreas são: rosto, orelhas, pescoço, colo e braços, dorsos das mãos, pernas e os peitos dos pés.

Por que passar protetor mesmo quando não estamos expostos ao sol?

Mesmo não estando expostos ao sol, a luz ultravioleta dentro de ambientes fechados, como a exposição à luz visível emitida por lâmpadas fluorescentes, televisões e até pelo computador ou celular, prejudica a pele. Isso porque apesar de não deixar a pele avermelhada e nem marcada de imediato, é cumulativa e causa envelhecimento da pele, além disso, pode levar ao aparecimento de lesões malignas.

Em dias de sol, em quanto tempo devemos repor o protetor solar?

A rotina ideal é aplicar o filtro logo pela manhã (meia hora antes de se expor ao sol) e, depois, reaplicar o produto no corpo e rosto a cada duas horas. O filtro solar que tem  FPS 60 não fica mais tempo na pele do que o de FPS 30, então o intervalo de reaplicação é o mesmo, pois o efeito de proteção vai sendo gradualmente reduzido – especialmente com a ajuda do suor e contato excessivo com a água. Se tiver contato com água é preciso secar bem a área e depois reaplicar o protetor.

Qual a quantidade de protetor que devo usar diariamente?

01 colher de chá para rosto, cabeça e ombros; 02 colheres de chá para o colo e as costas; 01 colher de chá para cada braço e 02 colheres de chá para cada perna.

Idosa e o uso do protetor solar
Foto do rosto da mulher que viralizou na Internet.

Recentemente viralizou uma imagem de uma senhora que havia passado protetor solar no rosto, mas não no pescoço. O que você, como profissional, tem a dizer sobre esse alerta?

O uso diário de protetor é super importante em todas as partes do nosso corpo que serão expostas a radiação solar. Principalmente as áreas que não são cobertas pela roupa, como pescoço, colo, braços, mãos e pés. Essa senhora passou 40 anos da sua vida usando protetor no rosto e esqueceu de proteger seu pescoço. Os efeitos foram estudados por cientistas que detectaram que a região não protegida pelo protetor solar acabou sendo afetada pelos raios ultravioleta e surgindo processos biológicos do envelhecimento da pele. Com base nesse estudo podemos ficar atentados a importância do uso do protetor solar corretamente, para evitar o surgimento de doenças da pele, incluindo o câncer.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião