A constelação sistêmica Familiar é muito mais que um método de ajuda ou uma Terapia Breve, é uma filosofia de vida. Foi desenvolvida pelo alemão Bert Hellinger, teólogo, filósofo, psicólogo e psicoterapeuta. Suas observações definiram as três leis sistêmicas que regem os Sistemas Familiares, denominadas: Ordens do Amor – Hierarquia;  Pertencimento; e Equilíbrio entre dar e tomar. Os problemas nas relações surgem, quando essas leis são desrespeitadas ou transgredidas. 

Em Foz do Iguaçu a terapeuta  Goreti Aparecida da Rosa, proprietária do Espaço Terapêutico ConsteLAR,  iniciou seus atendimentos há sete anos, auxiliando as pessoas a construir este novo olhar. Foram mais de 1000 atendimentos presenciais. Hoje o Espaço Terapêutico conta com atendimentos também online através da consteladora e Reikiana Mari da Rosa. 

Goreti é funcionária pública municipal e também terapeuta de Constelação Familiar, psicogenealogia evolutiva, terapeuta do Método Procure Cicatrizes MPC e facilitadora do curso de Acesso à Consciência – Barras de Access). Quanto à constelação, ela explica que existem duas formas de fazer a terapia de constelação familiar, uma por meio de figuras/bonecos na sessão individual e outra por meio da sessão grupal com representantes.

Leis Sistêmicas  

“A harmonia nos sistemas ou clã depende do respeito à estas leis: Ordem ou Hierarquia: o ser é definido pelo tempo e, através dele, recebe seu posicionamento, ou seja, na família se dá pela ordem de chegada dos membros, quem veio antes, tem precedência e um lugar maior do que quem vem depois. Para a empresa aplicamos também este princípio, no que se refere a origem, o fundador é a fonte de toda força da empresa, deve ser sempre reconhecido por isso”, explica Goreti.

Goreti Aparecida da Rosa - consteladora familiar
Goreti Aparecida da Rosa – consteladora familiar.

Outra lei é a do Pertencimento: onde todos têm direito igual de pertencer a um sistema familiar e precisam ser acolhidos. Para que haja equilíbrio e harmonia no sistema familiar ninguém pode ser excluído (principalmente os filhos não nascidos ou abortados), quando alguém é excluído do sistema familiar, os demais membros sofrem as consequências. O sistema sempre busca promover a inclusão daquele membro para que o equilíbrio familiar seja retomado. Esta tentativa de inclusão surge através dos mais diversos sintomas.

A lei do Equilíbrio: explica que quando uma das partes não consegue ou não quer retribuir há um desequilíbrio, ou a relação irá terminar, ou quem deu mais se sente desvalorizado perante o descontentamento do outro e quem recebeu muito se sente endividado e diminuído em sua integridade. Toda troca deve ser equilibrada. Na relação entre pais e filhos, a ordem natural é os pais doarem aos filhos e os filhos receberem sem obrigação de retribuição e sim de levar adiante a vida que receberam, através dos seus filhos ou trabalho. É um complemento da lei da hierarquia. Já na relação entre casais não há essa hierarquia, mas deve ocorrer um equilíbrio de troca entre a relação.

“Muitas pessoas  se sentem travadas e não conseguem ter sucesso em uma ou diversas áreas de sua vida, tais como: relacionamentos, sexo, saúde, prosperidade ou nos negócios, porque estão presas a algo do passado. Para isso, o cliente traz uma questão e eu realizo uma sessão, de cerca de duas horas. Esse atendimento pode ser feito por meio de figuras/bonecos. Através destes elementos eu auxilio o constelado (pessoa que trouxe a questão) a trazer para consciência a origem da sua “dor”, tornando mais claras essas conexões com o passado, assim o mesmo poderá ressignificá-la e dar os passos em direção à solução”.

Outra forma é por meio de uma sessão grupal, que acontecem todas terças e quintas-feiras no espaço terapêutico. Lá as pessoas que assistem podem ser convidadas a participar atuando como representantes, neste “campo informacional”, ou seja, nessa dinâmica um indivíduo que está participando da sessão pode ser convidado a representar o constelado, a questão ou um dos membros da família do constelado. A partir deste momento os representantes passam a ter sensações, sentimentos e sintomas relacionados às pessoas ou questões que elas estão representando. Com isso, o constelado consegue identificar a origem dos conflitos ou traumas que carrega e então poderá deixar no passado aquilo que é  do passado, ressignificando e trazendo de volta a ordem e o respeito às 3 leis sistêmicas. Com este novo olhar poderá seguir seu caminho e destino, mais leve, saudável, próspero e feliz.

“Tudo gira em torno da GRATIDÃO. Tudo foi como foi, não posso mudar o passado, foi assim. Tomo a força e a bênção do quê e de quem veio antes e assumo o meu lugar aqui e agora; olho para a frente, para meu destino e futuro, deixo o AMOR fluir e me abro para a GRATIDÃO, pois tudo que aconteceu me trouxe até  aqui. A vida que eu recebi, só foi possível, através do “Sim à Vida” dos que vieram antes, em especial do sim que meu pai e minha mãe deram um para o outro e para mim. Paramos de julgar, de ter dó, raiva ou qualquer outro sentimento negativo. Para honrá-los nós também levamos a vida adiante, tendo nossos filhos ou contribuindo para a sociedade através do nosso trabalho, seguindo uma vida cada vez mais leve, saudável e feliz”, frisa Goreti.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião