banner-foz-itaipu-foz

A situação de Covid-19 no nosso país vizinho também não está tão boa; a média de casos nos últimos sete dias está em 2.813 casos, e a vacinação no Paraguai está ocorrendo de forma lenta. Até o momento, apenas 1% de sua população está totalmente vacinada contra o coronavírus, cerca de 70 mil pessoas ao todo.

Com isso, o Paraguai entrou para a lista dos possíveis países que irão receber uma quantia das 80 milhões de doses da vacina contra a Covid-19, que estão sendo doadas especialmente para países da América Latina, pelo Estados Unidos, sob governo do Presidente Biden.

O ministro das Relações Exteriores, Euclides Acevedo, participou de uma reunião no Palácio do Governo junto com o presidente Mario Abdo Benítez e o encarregado de Negócios da Embaixada dos Estados Unidos em Assunção, Joe Salazar, para uma conversa sobre a importância e possibilidade da chegada de uma parte das 80 milhões de vacinas no Paraguai.

Porém, nada ainda é certo; segundo Acevedo e Salazar, foi uma boa conversa, mas nenhum dos dois especificou dados sobre quantidades ou datas possíveis.

“A conversa que tivemos hoje com nossos amigos da Embaixada dos EUA é para insistir na importância que as vacinas significam para nós. Todos sabemos que existem 80 milhões de doses de vacinas do governo Biden, mas para 30 países e isso certamente significará uma distribuição equitativa.”

Ministro Euclides Acevedo sobre reunião

Embora seja uma expectativa do governo e também da população, Salazar disse pouco e com cautela, evitando dar mais expectativas de que algo aconteça, mas espera dar boas notícias em breve sobre a vacinação no Paraguai.

“Muitos países nos pediram ajuda neste assunto. Depende de quanto podemos compartilhar com nossos aliados, com nossos amigos. Queremos garantir que sejamos equitativos na distribuição dessas vacinas”, disse o encarregado dos Negócios da Embaixada dos EUA, segundo UOL.

Essas 80 milhões de doses da vacina foram anunciadas pelo governo americano em maio, falando ser uma doação global para os países que precisam atualmente. A única vacina confirmada realmente para ser doada é a da Astrazeneca, com 60 milhões de doses . Já os 20 milhões que faltam vão ser de marcas aprovadas e administradas por Pfizer/BioNTech, Moderna e Janssen.

O Brasil não mostrou interesse na doação. Segundo Marcelo Queiroga, ministro da Saúde no Brasil, o Brasil já comprou as doses das indústrias farmacêuticas americanas como a Pfizer e Johnson & Johnson.

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião