Hoje (29), foi totalizado 33.719 casos de coronavírus em Foz do Iguaçu. Deste número, 32.550 pessoas já estão recuperadas do COVID-19.

Na data de hoje também foram confirmados 111 novos casos, sendo 58 mulheres e 53 homens com idades entre 2 meses e 95 anos. Entre eles, 19 casos encontram-se internados e 92 estão em isolamento domiciliar.

Das pessoas que ainda estão com Covid-19 ativos, são 260 em isolamento domiciliar com sintomas leves e 136 estão internadas.

Óbito – Coronavírus em Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu registrou 5 óbitos em consequência da covid-19. As vítimas são 5 homens de 49, 57, 67, 68 e 74 anos.

No total, são 773 mortes pela doença no município desde o início da pandemia.

Coronavírus em Foz do Iguaçu

O coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19, após casos registrados na China, por isso do nome covid-19. Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937.

No entanto foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus.

Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1. Entretanto, o covid-19 é o que mais rápido se manifesta, o que explica o fato de ter contaminado pessoas do mundo todo em tão pouco tempo.

Entre os principais sintomas estão febre, tosse e dificuldade para respirar. O período de incubação do vírus varia de dois a 14 dias, conforme o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem desde a infecção por coronavírus.

Como prevenir o coronavírus?

As pessoas em todo o mundo estão cientes da importância da higienização neste momento, mas nunca é demais alertar sobre os cuidados básicos que cada um deve ter.

Os vírus respiratórios se espalham pelo contato e por gotículas, por isso a importância da prática da higiene frequente no que diz respeito a limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência, como brinquedo, celular, maçaneta e corrimão.

Além disso, a “etiqueta respiratória” alerta para cobrir a boca com o antebraço ou lenço descartável ao tossir e espirrar e evitar tocar nas pessoas, como aperto de mão, abraços e beijos.

Espaço publicitário

ALEP Covid 19

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião