Vivemos na era da desinformação. Ao mesmo tempo em que as notícias chegam de forma instantânea em nossos lares, a informação de qualidade está cada vez mais escassa. E isso ficou claro com a pandemia de coronavírus que desencadeou a pandemia de notícias falsas, as fake news, o que reflete um deserto no jornalismo local e de qualidade.

Para mudar essa realidade e destacar a importância do jornalismo como forma de suprir os desertos de notícias, o The Canadian Journalism Foundation (CJF)  e o World Editors Forum (WEF)  – com o apoio da Google News Initiative – lançaram o World News 2020 que envolveu mais de 100 apoiadores da mídia de todo o mundo.

A intenção é conscientizar as redações e leitores de todo mundo sobre a importância do jornalismo de qualidade. O editor-chefe do The Straits Times, o principal jornal inglês de Cingapura, e Presidente do Fórum Mundial de Editores, Warren Fernandez, destacou em seu artigo que “as notícias reais são importantes se quisermos compreender os desnorteadores desenvolvimentos que nos cercam. Credível o jornalismo é fundamental se quisermos ter debates informados sobre para onde podemos estar indo em um pós-mundo pandêmico. Redações que estão engajadas com seus leitores podem ajudar a reunir comunidades em um momento de mudança dolorosa”.

Warren Fernandez é Presidente do Fórum Mundial de Editores.

E falando em mudança dolorosa, a 100fronteiras retratou em maio a dura realidade das famílias que se separaram com o fechamento da Ponte Internacional da Amizade, que mudou a rotina da fronteira e gerou um “novo normal”. E é esse tipo de jornalismo local, que conversa com o público local, responde às questões e traz luz ao desconhecido que faz falta nos dias de hoje e da qual o World News Day busca valorizar.

“Jornalistas profissionais e redações serão vitais para ajudar as comunidades a pesquisar as devastadas paisagens ao redor deles. Eles também serão essenciais para as conversas honestas que serão necessárias para descobrir o caminho a seguir. É por isso que o sucesso e a sustentabilidade da mídia são importantes – agora mais do que nunca – para nós todos”, finaliza Warren em seu artigo.

O papel da mídia é fundamental porque gera informação e a conexão se dá a partir do momento que as pessoas estão informadas sobre determinado assunto. Também tem uma grande importância em disseminar o conhecimento. Então nas ações que a gente vem desenvolvendo na cidade focada na transformação da economia, trabalhando temas como a inovação, não só o conhecimento sobre essas pautas, sobre esse assuntos são divulgados e disseminados, como esse processo de informação sobre o que tá acontecendo. Isso gera interesse e conexão entre as pessoas. E isso é base fundamental para que a gente consiga trabalhar o desenvolvimento de uma cidade.

rodrigo régis, Diretor de Negócios & Inovação na Parque Tecnológico Itaipu.

Por isso, mais do que nunca, hoje nós da 100fronteiras, que estamos a 16 anos produzindo jornalismo local e de qualidade, nos dedicamos diariamente para conhecer a realidade dos moradores da fronteira e buscar soluções para responder a tantas perguntas que surgem em meio a um mar de incertezas que a pandemia criou.

“A disseminação das informações incentivam as pessoas a refletirem e se tornarem agentes de transformação, além disso os meios de comunicação permitem a maior interatividade e encurtam o distanciamento entre as pessoas, dá a elas a oportunidade de conhecer mais sobre a sua cidade, de expor suas opiniões e gerar um sentimento de pertencimento. Assim, a mídia local traz verbalizado tanto a promoção turística da cidade, dados relevantes sobre a sua comunidade, como também atualizações a respeito da gestão pública municipal. Ter acesso as todas essas informações trazem benefícios tanto para os moradores quanto para a cidade no geral”.

Paulo Angeli, Presidente do Comtur de Foz do Iguaçu.  

Algumas das reportagens de jornalismo local de qualidade que fazem parte do World News Day 2020

Problemas no Paraíso – Boletim de Manila, Filipinas

A reportagem retrata a realidade de Boracay, localizado no litoral, e que viu o desemprego chegar com o “sumiço” dos turistas devido a pandemia. “Com o fechamento, estima-se que 36.617 trabalhadores em Boracay perderão o emprego”, destaca a reportagem. Sem contar que o fechamento da praia trouxe a tona a poluição causada pelos empreendimentos e a corrupção por traz disso. O que fica é a incerteza quanto aos moradores da região que dependem do turismo para a sobrevivência.

Fonte: Tara Yap

A Voz da Selva – Agência de Notícias ANTARA Indonésia, Indonésia

Essa reportagem fala sobre uma rádio comunitária, a “Rádio Benor FM, localizada em uma área remota na vila de Bukit Suban. A vila está localizada no distrito de Air Hitam, na regência de Sarulangun, na província de Jambi”.

Fundada em 2013 a rádio é destinada aos Anak Dalam, também conhecidos como etnia Orang Rimba. O grupo está espalhado pela área do Parque Nacional Bukit Dua Belas e rádio foi criada para informar os moradores dessa comunidade, o que reforça a importância de combater o deserto de notícias em comunidades locais.

Foto: Agência de Notícias ANTARA Indonésia

Assentamento em El Pozo, uma usurpação de mais de uma década – El Litoral, Argentina

Do país vizinho, Argentina, o destaque é uma reportagem sobre as precárias condições de habitat de centenas de famílias da cidade de Santa Fé. “É uma questão pendente que os governos municipais e provinciais ainda não podem ‘aprovar’. A pobreza e a falta de moradia no país estão crescendo rapidamente e a necessidade de ter um lugar para morar é urgente”.

Crédito: Fernando Nicola

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião