cataratas por do sol
Foto: Lilian Grellmann/100fronteiras

Iniciando a terceira semana do programa Clube 100fronteiras pela Rádio Clube 100.9 FM, o convidado foi o presidente reeleito pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR), Paulo Angeli que inicia sua segunda gestão com o desafio de Foz estar vivendo um novo momento em meio à pandemia.

Carlos iniciou falando sobre a história de Foz e os ciclos econômicos pela qual a cidade passou. “Em 1889 houve a implantação da Colônia Militar. Já a efetivação do município foi em 1914. Depois vieram o ciclo da madeira nos anos 20, 30, e posteriormente o da erva-mate. Aí com a construção da Itaipu na década de 70, outro ciclo econômico iniciou e nos anos 80 o comprismo tomou conta. Mas de lá ate agora não houve nenhum outro ciclo marcante na cidade. E agora em 2020 caminhamos para um novo momento com a construção da segunda ponte e demais obras do programa Acelera Foz que marcam um novo momento na cidade, em meio a pandemia de coronavírus e você Paulo assume nesse momento, então quais são os desafios dessa nova gestão para o turismo em Foz?”

paulo angeli
Paulo Angeli é o atual presidente do COMTUR. (Foto: Facebook)

“Você fez um apanhado bem legal dos ciclos históricos da cidade e em nenhum deles o turismo teve um destaque interesse. Em 2007 iniciamos um projeto de gestão integrada, de unidade de instituições, onde o COMTUR se tornou um fórum de discussão de turismo e na qual cada instituição que compõe o conselho tem seu papel na discussão sobre o turismo. Estamos passando pro grandes dificuldades, mas o turismo em Foz sempre foi muito resiliente. As próprias pesquisas dizem que as duas atividades econômicas que vão reiniciar seu trabalho é o agronegócio e o turismo. E acredito que a cidade saiu na frente quando em 10 junho lançou os protocolos sanitários, pois recebi várias ligações de vários destinos brasileiros pedindo nossos protocolos, então isso mostra que somos pioneiros nessa nova fase. Foz nunca foi uma cidade turística, mas uma cidade com pontos turísticos a nível mundial. Então o que precisa fazer é envolver a comunidade para se apropriar desta atividade que é o turismo e assim começaremos a transformar a nossa cidade em uma cidade de fato turística.”

Paulo explica também que desde 2007 a Itaipu passou a apoiar efetivamente o turismo na cidade e agora, na gestão do general Silva e Luna, que deseja deixar um legado em Foz, o programa Acelera Foz surge como um novo ciclo econômico e de desenvolvimento para a cidade. No entanto, falta que os iguaçuenses abracem essa causa também. Mas ressalta que apesar do turismo ter sido um dos mais afetados mundialmente pela pandemia, acredita que logo iremos conseguir superar isso. “Nesse momento temos que buscar unidade entre todas as instituições em busca de projetos em comum. Paralelamente temos que trabalhar fortemente na revitalização da legislação local, para que seja mais fácil conseguir recursos, e também na busca de soluções tecnológicas para a cidade.”

Retomada gradual do turismo

Paulo destaca que a retomada do turismo é diferente da do comércio, pois não é de um dia para o outro que os atrativos e hotéis voltam a funcionar, já que dependem da demanda de turistas. “Nós participamos da discussão para a retomada do turismo, apoiamos a retomada inclusive da hotelaria. A atividade turística é feita com planejamento, um hotel só vai abrir se tiver reservas. E hoje é muito mais seguro você ir para um hotel do que ficar na sua casa porque os protocolas de segurança são bem rigorosos. Mas dentro desse protocolo, esse abre e fecha dos hotéis e atrativos por conta do aumento de casos de coronavírus, é muito preocupante, pois a atividade será feita por meio de demanda e isso leva tempo, não dá para ser feito de um dia para o outro. Tínhamos 30 voos diários e hoje temos três, então os turistas já não serão os mesmos do que antes da pandemia”.  

Ele explica também que a prefeitura se comprometeu a implementar na entrada da cidade barreiras sanitárias para os turistas que virão por meio terrestres e que os atrativos estão equipados com controle sanitário de temperatura e álcool gel, além de demais medidas de segurança. “Estamos com milhares de desempregados na área do turismo e a maioria são autônomos, ou seja, não entram nessa lista de desempregados. Então isso mostra a preocupação que temos em fazer uma retomada segura, sabendo que o turismo é uma atividade econômica diferente, não é como comércio, precisa ser planejado e isso leva mais tempo”.

Autonomia do COMTUR

De acordo com o presidente do COMTUR, a única coisa que o conselho pediu ao prefeito Francisco Brasileiro é que todas as decisões relacionadas à pandemia fossem tomadas em conjunto, “porque a beleza de uma discussão, de um debate, é quando você tem várias visões sobre um mesmo assunto. Assim acredito que não teremos supressas por parte do poder público municipal, porque estamos em conversa toda semana”.

Na entrevista, ele também destacou a autonomia do conselho. “Pra mim sempre foi muito claro que o conselho pra ter uma sua força precisa ter independência. O COMTUR irá lado a lado com cada instituição que queira discutir sobre o turismo. E isso mostra o respeito que o conselho tem. Somos uma instituição política, mas não partidária, e nós vamos buscar através do contato com as autoridades mostrar nosso posicionamento, discutindo as questões do turismo, deixando muito claro que quem entende de turismo é o COMTUR”.

O COMTUR é um fórum de discussão de turismo, onde na sua concepção foi criado para ser um órgão de aconselhamento do prefeito, mas atualmente, com as 34 instituições que fazem parte, se discute o desenvolvimento da cidade como um todo, respeitando a área de atuação de cada instituição. 

Sobre o Festival de Turismo das Cataratas 2020

Paulo é idealizador do Festival de Turismo das Cataratas e destaca que os eventos precisaram se reinventar com essa pandemia, dando espaço para o uso da tecnologia.

“O festival foi transferido pra setembro, no entanto na semana passada transferimos a feira para dezembro, mas alguns eventos paralelos ao festival acontecerão em setembro de forma online”.

festival das cataratas 2020
Anúncio sobre o Festival das Cataratas online em 2020.

Ele conta que desde que iniciou em 2006 o objetivo do festival sempre foi o mesmo que era trazer os agentes de viagem para conhecer o destino e divulgar ele pra fora. E hoje, além disso, o festival passou a ser um centro de turismo da América do Sul.

“A cidade cria uma expectativa para os dias do evento, ela se apropriou do festival e os atrativos tem interesse em mostrar aos profissionais esses locais e esses eventos. Isso mostra a força e importância que os eventos têm para Foz. Assim como um evento entre a 100fronteiras e a Aner será de grande interesse para nós do COMTUR, pois um evento de imprensa é o de maior interesse da cidade, já que os jornalistas saem conhecendo e divulgando o destino e a 100fronteiras sempre está ganhando prêmios de destaque, o que é importante para o turismo em Foz”, finaliza.

Programa Clube 100fronteiras, toda quarta-feira 11 horas, na Rádio Clube FM 100,9

assista o programa anterior da clube 100fronteiras

Patrícia Buche

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião