Qual é maior: o parque nacional argentino ou o brasileiro?

819

A Tríplice Fronteira é lembrada por reunir Argentina, Brasil e Paraguai e abrigar as Cataratas, a Usina de Itaipu e uma das áreas comerciais mais movimentadas do mundo. Nessa região é comum ouvir definições próprias e comparações entre um país e outro. Neste “trio”, Foz do Iguaçu e Ciudad del Este cumprem o papel das zonas mais urbanizadas, ao passo que a Argentina promove a sua “selva misionera”. Mas afinal, qual parque nacional é maior: o Iguazú ou o Iguaçu?

O Parque Nacional do Iguaçu, no lado brasileiro, possui mais de 185 mil hectares de área protegida. O seu congênere, o Parque Nacional del Iguazú, no lado argentino, possui 67 mil hectares, nos quais está inserida também a Reserva Nacional Iguazú. No entanto, a região argentina preservada vai muito além desse parque, pois existem parques provinciais e reservas de conservação da natureza na região contígua ao parque nacional.

O Parque Provincial Puerto Península, situado ao sul da região urbanizada da cidade de Puerto Iguazú, juntamente com a Reserva Natural de la Defensa Puerto Península, que está dividida em duas partes, compõem uma área de mais de 15 mil hectares de área preservada. O Parque Provincial Urugua-í ocupa uma área de 84 mil hectares. No total, a área preservada ligada ao parque nacional na Argentina é de cerca de 166 mil hectares.

No final das contas, mais importante do que saber qual é maior é constatar que estamos, como região internacional, cercados de áreas preservadas de Mata Atlântica, um dos biomas mais biodiversos do mundo.

 

Autores:

Heloísa Marques Gimenez

Doutora em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (UnB), é professora adjunta na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Atua na área de Relações Internacionais, com foco de pesquisa nas tríplices fronteiras da América Latina.

Marcelino Teixeira Lisboa

Doutor em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), é professor adjunto na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila). Atua na área de Geopolítica e Relações Internacionais, com pesquisas sobre Política Externa e Políticas Públicas na América Latina.



Formada em Jornalismo (UDC) e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas (Unila), atualmente é jornalista e editora na Revista 100fronteiras.


Deixe um comentário