A diretora nacional de Migrações, Florencia Carignano, informou que, a partir do dia 1° de novembro, o teste de antígeno de COVID-19 será eliminado da lista de itens obrigatórios para o ingresso. 

Assim, a partir desse dia, pessoas de qualquer local do mundo poderão entrar na Argentina, sem cota máxima, mas respeitando sempre o esquema completo de vacinação. 

A partir de hoje, a Argentina começa a flexibilizar a entrada de estrangeiros.

“Esta manhã entrou o primeiro navio do Uruguai com argentinos e turistas”, disse Carignano.

“É preciso diferenciar que, a partir de 1º de outubro, aqueles que residem ou são do país, ou até que estiveram nos países vizinhos nos últimos 14 dias, poderão entrar, e o farão por corredores seguros.” 

“A cota será eliminada progressivamente: 

De 1º a 03 de outubro: podem entrar 2.300 pessoas por dia.

De 4 a 10 de outubro: podem entrar 3.000 pessoas por dia. (21.000 por semana) 

Já, a partir do dia 11, 4.000 pessoas por dia poderão ingressar até 1º de novembro, que é quando será eliminada a cota e o teste de antígeno, segundo o que Vizzotti anunciou.” disse o chefe de Migrações sobre a cota e os novos requisitos para entrar no país.

Outras atividades.

De mesmo modo, o responsável esclareceu que aqueles que vêm para realizar qualquer outro tipo de atividade (trabalho, estudo, etc.) e que não têm as duas doses das vacinas aprovadas pela OMS, poderão entrar autorizados por Migrações, mas deverão realizar o isolamento correspondente. 

Comentários

Deixe a sua opinião