Procurador do município esclarece as denúncias relacionadas à Operação Luz Oculta

Na quinta (21), Osli Machado acompanhou a Polícia Civil do Paraná nas buscas e apreensões de documentos referentes à iluminação pública.

A 100fronteiras entrou em contato com o procurador-geral do munícipio, Osli Machado, para saber mais informações sobre a Operação Luz Oculta, realizada na cidade e que investiga suposta fraude e superfaturamento na compra das lâmpadas em LED da iluminação pública de Foz.

“Na quinta bem cedo chegou para nós da Procuradoria a informação de que havia um mandado de busca e apreensão na casa do servidor que é diretor de Iluminação Pública e também busca e apreensão na repartição que ele trabalha, que é o Departamento de Máquinas ali na Vila Portes. Eu fui chamado para acompanhar a visita na repartição juntamente com o promotor da 6ª promotoria, mais um delegado e alguns policiais civis. Eles verificaram a existência de documentos relacionados à licitação de iluminação pública e levaram alguns documentos. Na sequência eu fui notificado pelo delegado por uma requisição expedida pelo promotor para que fosse entregue o processo licitatório original e também fosse entregue comprovantes de pagamento, que entreguei a eles”, detalha o procurador.

Ele ainda destaca que toda a documentação que foi repassada à Polícia Civil e ao Ministério Público Estadual está no Portal da Transparência e no site do Tribunal de Contas, disponível para a consulta de qualquer pessoa. E ressalta também que o trabalho da prefeitura sempre foi respaldado por transparência. “Gostaria de salientar que o prefeito não é alvo da investigação e que, desde que o prefeito soube dessas denúncias sobre irregularidades nas lâmpadas de LED, ele determinou a suspensão dos pagamentos, que giram em torno R$ 2,4 milhões, e determinou também a abertura de um processo administrativo para apurar o comportamento da empresa, a qualidade dos produtos fornecidos e se a empresa estava cumprindo com aquilo que é compromisso do contrato e também do edital.”

Sobre irregularidades no processo licitatório, Osli esclarece que “cinco empresas participaram do processo, e quatro não tinham habilitação, por isso foram descartadas, sobrando apenas uma. O fato é que não pode ser considerado irregular uma licitação porque somente uma das empresas foi adiante. Da nossa parte estamos muito tranquilos em relação a isso e confiamos nos servidores que fizeram o processo licitatório, assim como também entendemos que o MP e a polícia estão fazendo o papel deles, e aguardamos o desenrolar dessas investigações”.

Já com relação ao futuro das investigações, Osli informa que a prefeitura está à total disposição para esclarecimentos. “Se houver irregularidade identificada e comprovada, seguramente os interessados também nessa solução somos nós da prefeitura.”

 

Osli Machado é procurador-geral do município.

Fotos: Prefeitura de Foz do Iguaçu

 

 

Newsletter

Ama a tríplice fronteira tanto quanto nós? Assine a newsletter 100fronteiras e receba conteúdo exclusivo. Seu apoio aprimora nosso trabalho para que possamos ajudar a aprofundar sua conexão com Ciudad del Este, Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú enquanto investimos no futuro do jornalismo local.

Participe da comunidade 100fronteiras

Apoiando o jornalismo local, você valoriza a sua cidade, seu estado e a integração dos três países. Nossa equipe está diariamente trazendo notícias da fronteira, apresentando novos lugares, histórias. Assinando você receberá conteúdos e promoções exclusivas.

Entre em nosso grupo do Whatsapp. Apoie a mídia local!

Nos encontramos lá, até mais!



One thought on “Procurador do município esclarece as denúncias relacionadas à Operação Luz Oculta

Deixe a sua opinião