Parque das Aves espera receber 105 mil visitantes nas férias de julho

261

Número é maior que no mesmo período do ano passado. Além da experiência em meio à Mata Atlântica, turistas vão encontrar trilha repaginada e colaboradores preparados para um dos períodos mais agitados do ano

Com a chegada do inverno e das férias de julho, o Parque das Aves deve receber 105 mil turistas este mês, número maior que no mesmo período do ano passado. O Parque das Aves é o atrativo mais visitado de Foz do Iguaçu depois das Cataratas e o aumento da visitação deve tornar 2019 um dos melhores anos em número de visitantes para o atrativo.

Na avaliação da diretora administrativa do Parque das Aves, Jurema Fernandes, o crescente número de visitantes é sustentável e reflete o trabalho de conservação que o Parque vem realizando com aves da Mata Atlântica.

“A visitação ao Parque das Aves segue em alta comparada a períodos passados e vamos ultrapassar a marca dos 100 mil visitantes no mês de julho. Isso deve contribuir para que tenhamos um número muito próximo ou superior ao nosso recorde anual, que foi de 830 mil visitantes em 2018”.

Jurema conta que o atrativo tem focado todos os esforços na conservação da Mata Atlântica e suas espécies e o público aprovou, pois observou-se um crescimento contínuo no número de visitantes.

“O otimismo desta alta temporada é decorrente do maior interesse das pessoas por temas relacionados ao meio ambiente e por experiências na natureza. Além disso, o Parque oferece uma real conexão do visitante com o bioma da Mata Atlântica”.

Atrações em destaque

A previsão de tantos turistas está atrelada às opções de atividades oferecidas no Parque das Aves. Reconhecido como o maior parque de aves da América Latina, este ano a trilha está completamente repaginada, com foco em espécies da Mata Atlântica. Além disso, o Backstage Experience, roteiro que mostra os bastidores do trabalho realizado no atrativo, recentemente recebeu o Certificado de Excelência do TripAdvisor, o maior portal de viagem do mundo.

“No Parque das Aves, prezamos por um atendimento que exceda as expectativas dos visitantes em todos os momentos, desde a bilheteria até a loja de souvenirs. Além disso, os mediadores de trilha são capacitados para falar sobre o trabalho de conservação que o Parque das Aves realiza e estão prontos para atender a alta demanda de turistas, compartilhando medidas para ajudar a salvar o bioma mais devastado do mundo”, acrescenta Jurema.

Outras novidades que o visitante vai encontrar são os restaurantes focados em melhorar a experiência do visitante com lanches que ornem com as estações do ano, usando ingredientes locais e nativos da Mata Atlântica.

A alta estação promete movimentar não só o Parque das Aves, como toda a cidade de Foz do Iguaçu. Segundo a Secretaria de Turismo, para julho são esperados 500 voos extras para a cidade.

“Os turistas estão procurando cada vez mais destinos que proporcionam experiências únicas, conectadas à cultura e outros aspectos do local visitado. Foz do Iguaçu (PR) tem tudo isso e é um lugar privilegiado, com muita natureza”, conclui Jurema.

Sobre o Parque das Aves

Com 25 anos de atuação e 230 colaboradores, o Parque das Aves é a única instituição do mundo focada na conservação de aves da Mata Atlântica. Possui 16 hectares de mata restaurada, 1.400 aves de 140 espécies diferentes, com três viveiros de imersão e um borboletário. O objetivo do Parque das Aves é atuar investindo significativamente para criar um impacto positivo para as aves da Mata Atlântica, principalmente as 120 espécies e subespécies em risco de extinção. O Parque das Aves recebe 830 mil visitantes por ano, sendo o atrativo mais visitado de Foz do Iguaçu depois das Cataratas.

 




Deixe um comentário