Palestra de Congresso do IPDA desenha ambiente propício para o crescimento do Brasil

81

O reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, falou sobre os desafios e problemas que devem ser enfrentados para melhorar a situação brasileira

Em sua palestra de abertura do XX Congresso Paranaense de Direito Administrativo, o economista José Pio Martins, reitor da Universidade Positivo, citou alguns problemas que impedem o crescimento do Brasil. Entre eles o tamanho do produto brasileiro: “o que o Brasil produz é muito pouco”, afirmou, comparando o PIB per capita do nosso país (US$ 9.918) com o dos Estados Unidos (US$ 59.533).

Ainda comparando com os americanos, Pio Martins destacou o segundo gargalo: a baixa produtividade. Mencionou uma reportagem da revista The Economist, de abril de 2014, que faz uma comparação entre o número de horas trabalhadas por pessoa e por ano: 277 bilhões nos EUA contra 150 bilhões no Brasil. Ressaltou que a produtividade do americano por hora de trabalho é de US$ 70 – enquanto a do brasileiro é quase cinco vezes menor, US$ 13,73.

De acordo com o reitor, a pobreza é mais um problema. Salientou que “não há como eliminar a pobreza com a produtividade medíocre que temos”. Para melhorar a produtividade de um país, o economista apontou quatro fatores: o capital físico (infraestrutura social); recursos naturais (que não nos faltam); capital humano (grau de escolaridade média, grau de qualificação profissional e cultura da população); e conhecimento tecnológico (o fator que mais nos afasta dos EUA).

O reitor da Universidade Positivo argumentou que o Brasil tem um gigantesco desperdício de força de trabalho. “São 12,7 milhões de desempregados, 4,8 milhões de subempregados e 5 milhões de desistentes entre a população economicamente ativa empregável brasileira, que hoje está em 104 milhões”.

Pio Martins garantiu que, para consertar o Brasil, o nosso PIB tem que crescer mais que o crescimento populacional. Afirmou que ainda emperra o país de crescer “a taxa de investimento no Brasil, que é medíocre”. Acrescentou que o setor público retira 34% da renda nacional e investe apenas 2%. Ressaltou que os déficits fiscais crônicos e uma imensa dívida pública, que chega a quase 80% do PIB, atualmente, também impedem o país de desenvolver. “A estrutura do gasto público é desastrosa, com déficits fiscais crônicos e dívida pública imensa”, definiu.

Pio Martins enfatizou que além de enfrentar alguns desafios comuns em várias partes do mundo como superpopulação urbana, envelhecimento acelerado e esgotamento de recursos naturais, o Brasil baixa produtividade, baixo capital físico e pobreza elevada.

O professor Pio também desenhou um ambiente propício para o crescimento. “Para o país crescer é preciso liberdade econômica, justiça e paz, tributação simples e moderada, boa gestão das contas públicas, estabilidade da moeda, regras claras e estáveis e simplificação das relações trabalho/capital e Estado de Direito.

Finalizou a sua apresentação com duas mensagens: “O pessimista é aquele que descobre um problema na oportunidade”. “O otimista é aquele que descobre uma oportunidade em um problema”.

O evento também pode ser acompanhado pelo aplicativo disponível gratuitamente nas plataformas Android e IOS em: (https://apps.apple.com/us/app/ipda/id1476688208?l=pt&ls=1) (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.net.ipda.app).

Serviço:
XX Congresso Paranaense de Direito Administrativo
Data: 28 a 30 de agosto, das 9h às 18h
Local: sede da OAB Paraná (Rua Brasilino Moura, 253, Ahú), Curitiba-PR
Informações: https://congresso.ipda.net.br
Realização: Instituto Paranaense de Direito Administrativo – IPDA
Patrocínio: Copel Telecom, Sanepar e Governo do Estado do Paraná
Apoio: OAB Paraná, Tribunal de Contas do Estado do Paraná, Município de Curitiba, Instituto Rui Barbosa, Instituto dos Advogados do Paraná, Instituto Brasileiro de Direito Administrativo, Instituto de Direito Romeu Felipe Bacellar, Instituto Paranaense de Direito Eleitoral, Instituto de Direito Administrativo de Santa Catarina, Escola da Magistratura do Paraná, Câmara de Arbitragem e Mediação da FIEP, Associação dos Municípios do Paraná, União de Câmaras, Vereadores e Gestores Públicos do Paraná e Portal Licitações Municipais.




Deixe um comentário