Colégio Sesi Internacional - display portal

Dessa forma, os machos dessas espécies têm como característica principal a marcação territorial através da micção, ou seja, utilizam a sua urina para demarcar o seu território.

Essa característica pode ser mais ou menos intensa dependendo da própria característica individual do animal.

Infelizmente esse comportamento de marcação territorial acaba causando alguns contratempos, uma vez que o odor característico da urina desses animais é muito marcante e causa desconforto para as pessoas.

No caso dos animais que vivem em quintais ou fora de casa, esse problema pode passar despercebido.

Todavia não é raro encontrar tutores que se vêem sem saber o que fazer diante da constante marcação territorial dentro de casa, onde os animais urinam nos móveis, sofás, cortinas e até na cama das pessoas.

Visto que esse é um problema causado pela ação hormonal masculina (testosterona), a castração é uma opção válida quando o problema se torna incontornável. Cães e gatos castrados passam a não ter a necessidade de realizar a marcação constante do território e, além disso, a urina produzida passa a ter odor mais fraco.

gato-cachorro
Foto: Reprodução internet.

Essa mudança de comportamento está diretamente relacionada com a idade em que os animais são castrados, ou seja, cães e gatos castrados mais prematuramente ou após o início da puberdade praticamente não desenvolvem o comportamento de marcação territorial.

Já animais castrados mais velhos podem ainda persistir, apesar de menos frequente, com esse comportamento.

Por outro lado, ainda há uma barreira cultural em que muitas pessoas têm restrições quanto à castração do cão ou gato macho, mas isso não se sustenta quando se prova que a castração não muda os demais comportamentos do animal, ou seja, cães ou gatos bravos quando castrados continuam bravos.

Com isso, a castração é uma excelente opção para cães e gatos machos que vivem dentro das casas ou apartamentos.

Paulo Henrique da Silva

Graduado em Medicina Veterinária pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1991). Mestre em Ciência Animal pela Universidade do Oeste Paulista (2013), Especialista em Clínica Médica e Cirúrgica em Cães e Gatos pela Universidade Federal do Paraná – Campus Palotina(2008) e em Marketing e Propaganda pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Cascavel (1999). Professor Celetista no Centro Universitário Dinâmica das Cataratas nas disciplinas de Patologia Clínica Veterinária e Anestesiologia Veterinária (2012-2016). Pós-graduando em Gestão Empresarial pela FGV. Atualmente trabalha como Clínico e Cirurgião Geral na PetBrazil Clínica Veterinária em Foz do Iguaçu-PR. Desenvolve atividades de Responsabilidade Técnica e manejo de cães de detecção em vários estados do Brasil. Tem experiência na rotina de atendimento de cães e gatos há 28 anos ininterruptos.

Comentários

Deixe a sua opinião