Colégio Sesi Internacional - display portal

Invariavelmente a doença decorre da maior incidência de animais obesos nos nossos dias. 

O diabetes mellitus é um distúrbio endócrino complexo, resultado da incapacidade pancreáticas do endócrino em secretar insulina (diabetes mellitus insulinodependente, ou tipo 1, mais frequente) ou da ação deficiente da insulina nos tecidos (diabetes mellitus não-insulinodependente, ou tipo 2, incomum).

Os sinais clínicos de um animal com diabetes são inespecíficos podendo ser confundidos com outras doenças, mas pelo fato de causar aumento de açúcar no sangue, promove, em geral, o aumento da frequência e volume de urina, aumento da sede, aumento do apetite e emagrecimento.

Além disso, as cadelas têm duas vezes mais chances de desenvolverem diabetes do que os cães machos e as raças de pequeno porte também são mais predispostas do que as raças de médio e grande portes. 

Em geral, os animais são diagnosticados entre os 7 a 10 anos de idade. É frequente os tutores se queixarem que o animal passou a urinar dentro de casa ou apresentou cegueira repentina devido à formação de catarata – a complicação mais comum no cão diabético.

A maioria dos gatos doentes têm os sintomas clássicos do diabetes, mas atenção: nem todo aumento de glicose no sangue do gato está relacionado à diabetes, já que essa espécie pode desenvolver hiperglicemia por estresse!

O diabetes pode ocorrer como consequência de outras doenças como, por exemplo, a pancreatite recorrente. 

Um relato comum apresentado pelos tutores é que passaram a notar a presença de formigas no local onde o animal urinou. Essa presença é explicada pelo alto nível de açúcar na urina.

Após o correto diagnóstico os tratamentos disponíveis são semelhantes ao do homem e incluem o uso da insulina, modificações da dieta, perda de peso em animais obesos, atividades físicas moderadas e, no caso de gatos, o uso de medicamentos hipoglicemiantes.

Paulo Henrique da Silva

Graduado em Medicina Veterinária pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1991). Mestre em Ciência Animal pela Universidade do Oeste Paulista (2013), Especialista em Clínica Médica e Cirúrgica em Cães e Gatos pela Universidade Federal do Paraná – Campus Palotina(2008) e em Marketing e Propaganda pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Cascavel (1999). Professor Celetista no Centro Universitário Dinâmica das Cataratas nas disciplinas de Patologia Clínica Veterinária e Anestesiologia Veterinária (2012-2016). Pós-graduando em Gestão Empresarial pela FGV. Atualmente trabalha como Clínico e Cirurgião Geral na PetBrazil Clínica Veterinária em Foz do Iguaçu-PR. Desenvolve atividades de Responsabilidade Técnica e manejo de cães de detecção em vários estados do Brasil. Tem experiência na rotina de atendimento de cães e gatos há 28 anos ininterruptos.

Comentários

Deixe a sua opinião