Vamos lá, você sabe o que significa muitas palavras, mas já parou para pensar em outras expressões não dicionarizadas e de difícil entendimento? Eis algumas delas: diacáuse, ou será diáclase com prefixo de queima, do mesmo ramo de diacinese, ou diaclose, vem da genética, da prófase da meiótica, entendeu? Muito menos eu!

Mas no léxico é definido como subfase inicial da meiose, caracterizada pelo deslizamento de cromatoides, que se encontram entrelaçados em processo de permutação. Alopecia, de raposa, é a ausência de pelos, está dicionarizada. Perda temporária ou definitiva, total ou parcial dos pelos, sinônimo de calvície.

Calinoplastia, de freio, caliginoso, escuro, tenebroso. Cirurgia reparadora do freio da
língua. Calistenia, de força, vigor, ginástica para o bem-estar, dicionarizada. Significa método
ou conjunto de exercícios físicos, sem uso de aparelhos, para dar força e vigor ao
corpo.

Creofagia, de creo, carne, que come carne, ou mania de comer carne. Dicionarizada. Critossemia, parte da semântica que estuda os verdadeiros sentidos das expressões ocultas, linguagem cifrada etc. Diacinesia, mau movimento, é a dificuldade de exercitar movimentos voluntários, dicionarizada.

Disopia, de vista, confusão, é a visão defeituosa, dicionarizada. Dismimia, de gesto, dificuldade de expressar-se por gestos, dicionarizada. Estetofonômetro, de som, da mesma raiz de estetoscópio, aquele aparelho que o médico usa para testar auscultar os órgãos da pessoa, medida do som.

Laparotomia, laparectomia, flanco, para fora, cirurgia do abdômen, da mesma raiz de laparoscopia, dicionarizada Traquicromática, de fortes cores, não dicionarizada. Traquelectomia, ou traqueotomia, cirurgia de retirada do útero, dicionarizada.

E assim por diante, querem mais?