banner-foz-itaipu-foz

Independentemente de cada tipo de pele, isto é, mais claro ou mais escuro. Há risco de queimaduras e manchas indesejáveis. Já se sabe que a foto proteção é essencial. Porém a que mais utilizamos é por meio de filtro solar em cremes ou loções.

Buscando uma maneira de reforçar nossas defesas contra os raios solares, surgiram novas opções de tratamento medicamentoso. E entretanto, administrados por via oral. Como o protetor solar em cápsulas.

Podemos constatar que substâncias com grande poder antioxidante, têm capacidade de melhor defender nossas células. Dos danos causados pela exposição ao sol. Sua função é reparar as células da oxidação e da inflamação, que os raios solares causam.

Majoritariamente, os antioxidantes são consumidos por meio de nossa dieta. Porém, com o intuito de melhorar a capacidade de reparo e manter o equilíbrio de antioxidantes versus radicais livres.

Podemos suplementá-los com medicações manipuladas. Ou fórmulas já comercializadas pela indústria farmacêutica (muitas vezes chamadas de nutracêuticos).

Bons exemplos de substâncias que vêm sendo usadas com esse fim são os carotenoides (betacaroteno, luteína e licopeno), as catequinas do chá-verde e o extrato de Polypodiumleucotomos. Que é rico em ácido cafeico e ferúlico – com grande capacidade anti-inflamatória. Atuando como imunomodulador e, portanto, aumentando a defesa da pele.

O extrato de romã também é destaque. Em virtude de seu grande potencial antioxidante, com isso aumentando e diversificando nosso arsenal de proteção solar. Ainda assim, não podemos substituir um pelo outro. Sendo indispensável manter, também, o uso do filtro solar tópico.

Cabe informar que qualquer medicação, deve ser consumida a partir de orientação médica. Assim como o protetor solar em cápsulas.

Dra.-Maria-fernanda-Fiorini

Dra. Maria Fernanda Bertuol Fiorini

Médica formada pela PUC-RS
Pós Graduada pelo ISMD/SP
CRM/PR: 39750
Instagram: baobab_igu
Contato: (45) 98809 2127

Diálogos 100fronteiras

1 Comentário

Deixe a sua opinião