É o objetivo da campanha Novembro Azul. Ela teve início em 2003, na Austrália, quando um grupo de 30 amigos teve a ideia de deixar o bigode crescer para chamar a atenção sobre a saúde masculina.

A campanha cativou adeptos, tornou-se mundial e já acontece anualmente em mais de 20 países. No Brasil é, hoje, o maior movimento em prol da saúde do homem e se repete a cada ano no mês de novembro. Envolve a TV, rádio, mobiliário urbano, mídia impressa e redes sociais. Mas seu objetivo principal é chegar até você, para conquistar sua adesão.

O câncer de próstata, quarto tipo de câncer mais frequente entre os homens e o segundo mais letal, causa a morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, a cada ano, são registrados mais de 68 mil novos casos e 13 mil óbitos causados pelo tumor. A cada 38 minutos morre um homem no Brasil vítima do câncer de próstata. Um a cada seis homens terá câncer de próstata no decorrer de sua vida.

No início, não apresenta sintomas. Quando esses aparecem, a doença já está avançada em 95% dos casos. Essa situação torna a cura bem mais difícil.

Os sintomas – Dificuldade para urinar, demora para começar, dor ou ardência uretral na micção, diminuição do volume e necessidade de urinar com frequência, gotejamento no final e, por fim, dor nos ossos em consequência das metástases.

Alguns homens apresentam risco maior de ter a doença: são os que têm mais de 50 anos, os que têm histórico desse câncer na família, os homens de cor negra, os sedentários, os obesos e aqueles cuja alimentação é rica em gordura animal (carnes, embutidos e alimentos industrializados) ou pobre em fibras vegetais (frutas, legumes e verduras).

O câncer de próstata tem tratamento eficaz. O resultado depende do estágio da doença. Quando inicial é altamente curável (90%). O tratamento pode ser cirurgia com retirada total da próstata ou com braquiterapia nas fases iniciais. Nos casos mais avançados, a hormonioterapia e anticorpos monoclonais podem controlar temporariamente a progressão da doença, prolongar a vida e assegurar qualidade de vida melhor e mais digna.

Mas tratamento melhor é a prevenção. O diagnóstico precoce permite a eficácia do tratamento. Por isso são importantes as mobilizações voltadas aos cuidados de prevenção do câncer de próstata. Seu objetivo é promover iniciativas de mudança de comportamento dos homens, para que incorporem o hábito de consultar um médico para realizar os exames preventivos, a cada ano, após os 50 ou após os 45 se forem do grupo de risco.

O movimento australiano Movember (Moustache/November – traduzido como Bigode/Novembro) se torna agora, para o câncer de próstata, o que a campanha internacional Outubro Rosa é para o câncer de mama. Por isso a cor rosa dos monumentos e edifícios em outubro dá lugar ao azul no mês de novembro, quando as campanhas de prevenção alertam para a realização dos exames que podem detectar o câncer de próstata em estágio inicial, quando o câncer é muito mais curável.

Muitos homens ainda relutam em aderir aos exames anuais, por vergonha, preconceito, falta de informação ou pela corrida do dia a dia. São procedimentos simples, rápidos, indolores e fundamentais para identificar a doença no seu começo, quando pode ser curada, assegurando vida mais longa e mais saudável. O apoio da mulher é muito importante no incentivo ao seu companheiro, seu pai, seu familiar ou seu amigo para que sejam feitos os exames preventivos.

Por isso, Novembro Azul procura atingir o máximo de pessoas para mostrar a importância do diagnóstico precoce, a única forma de garantir a cura do câncer de próstata.

Antoninho Ricardo Sabbi

Membro emérito da Sociedade Brasileira de Cancerologia e Mastologia. CRMPR-7093.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião