Colégio Sesi Internacional - display portal

Mas também tem a cor vermelha porque é o mês de informação sobre a hepatite.

A hepatite é uma inflamação do fígado e pode ser causada por vírus, por uso de alguns remédios (paracetamol), por álcool, por drogas e, ainda, por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Diagnosticar a hepatite precocemente é essencial para a eficácia do tratamento.

A hepatite A é uma doença contagiosa, causada pelo vírus A (VHA) e também conhecida como “hepatite infecciosa”.

É transmitida por água ou alimentos contaminados pelo vírus ou por contaminação fecal oral. Pode não apresentar sintomas. Geralmente ocorrem cansaço, tontura, náuseas e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras, 15 a 50 dias após o contágio.

O exame de sangue faz o diagnóstico. É totalmente curável quando corretamente tratada.

Pode ser prevenida pela higiene e saneamento básico.

A hepatite B é causada pelo vírus B (VHB). A contaminação se dá pelo sangue, pelo leite materno e pelo esperma.

É considerada uma doença sexualmente transmissível. Também pode não apresentar sintomas.

Mas são comuns cansaço, tontura, enjoo e/ou vômitos, febre, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras que aparecem de um a seis meses após a infecção. Um exame de sangue define o diagnóstico.

A prevenção se faz pelo uso de camisinha em todas as relações sexuais e pelo não compartilhamento de objetos de uso pessoal, como lâmina de barbear e depilar, escova de dentes, material de manicure e pedicure, equipamento para uso de drogas, confecção de tatuagem e colocação de piercings.

A hepatite C é causada pelo vírus C (VHC). Também está presente no sangue. É transmitida da mesma forma que a hepatite B. Na fase aguda raramente dá sintomas, os quais quando surgem são parecidos com os da hepatite B. Em mais de 80%, dura mais de seis meses, tornando-se crônica.

Para o diagnóstico são necessários exames especiais que incluem biopsia do fígado.

A hepatite D é causada pelo vírus D (VHD). Mas esse vírus depende da presença do vírus do tipo B para infectar uma pessoa. Sua transmissão ocorre de modo semelhante ao da hepatite B. Pode causar danos severos ao fígado, como cirrose e câncer.

Existem formas fulminantes de hepatite.

A hepatite E, doença infecciosa viral causada pelo VHE, é rara no Brasil, sendo mais comum na Ásia e África. Sua transmissão ocorre como a da hepatite A.

A hepatite A não causa maiores problemas ao fígado, e nada menos do que 99% das pessoas que a contraem se recuperam. Em casos raros, no entanto, a infecção do fígado pode progredir de forma muito rápida, transformar-se em uma hepatite fulminante e levar à morte.

A hepatite crônica pode causar cirrose ou câncer do fígado.

Os sintomas da hepatite podem demorar meses a se manifestar. Por isso é importante manter os exames e vacinas em dia antes mesmo de qualquer suspeita. Há vacinas contra a hepatite A e B.

A melhor forma e a mais eficaz de se prevenir contra a hepatite B ainda é por meio da vacinação.

A vacina contra hepatite B é feita em três doses. A segunda dose é aplicada 30 dias após a primeira; e a terceira, seis meses após a primeira dose. É recomendada para todas as pessoas adultas.

A prevenção da hepatite se faz também pela higiene das mãos, tomando sempre água filtrada ou fervida, lavando os alimentos antes do consumo, usando preservativo nas relações sexuais e material estéril ou descartável nos consultórios médicos e dentários, salões de beleza e estúdios de tatuagem e de piercing.

Antoninho Ricardo Sabbi

Membro emérito da Sociedade Brasileira de Cancerologia e Mastologia. CRMPR-7093.

Comentários

Deixe a sua opinião