Habitação precária ou condições de tratamento geralmente aceitas no passado podem agora ser criticadas por afetar o bem-estar animal.

A partir de estudos em humanos, sabe-se que existem relações entre emoções e uma série de efeitos comportamentais e fisiológicos, de forma que os animais que são submetidos a fatores de estresse por um período longo.

Podem sofrer especialmente um bem-estar reduzido demonstrado por mudanças negativas comportamentais importantes e pelos altos níveis de cortisol no sangue, que podem gerar predisposição a doenças oportunistas.

Fatores de estresse como barulhos (trovão, fogos etc.), inatividade física ou treinamentos excessivos, mudanças de rotina e espaço restrito para atividades são conhecidos como causadores de alterações comportamentais, cardiovasculares, endócrinas, renais, parâmetros gastrointestinais e hematológicos.

Estudos experimentais mostraram que cadelas são mais sensíveis aos fatores de estresse do que os cães machos. Todavia nossos cães não expressam os seus sentimentos facilmente, e o estresse nessa espécie geralmente é menos perceptível.

Na verdade, alguns comportamentos relacionados ao estresse imitam travessuras caninas normais. Tal como acontece com os humanos, os exercícios podem ser um grande redutor de estresse. Atividades físicas como caminhar ou brincar de buscar ajudam você e seu cão a liberar a tensão. 

Infelizmente a vida corrida das pessoas às vezes é um empecilho para essas atividades. A boa notícia é que estão tornando-se mais comuns os serviços de creche para cães, por meio dos quais os pets podem exercitar-se ativamente, bem como interagir com outros animais. Também os serviços de dog walker, ou passeador de cães, passam a ser mais acessíveis.

De qualquer modo, é importante compreender que nossos amigos peludos podem ficar estressados ​​também e que merecem cuidados e atenção.

Paulo Henrique da Silva

Graduado em Medicina Veterinária pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1991). Mestre em Ciência Animal pela Universidade do Oeste Paulista (2013), Especialista em Clínica Médica e Cirúrgica em Cães e Gatos pela Universidade Federal do Paraná – Campus Palotina(2008) e em Marketing e Propaganda pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Cascavel (1999). Professor Celetista no Centro Universitário Dinâmica das Cataratas nas disciplinas de Patologia Clínica Veterinária e Anestesiologia Veterinária (2012-2016). Pós-graduando em Gestão Empresarial pela FGV. Atualmente trabalha como Clínico e Cirurgião Geral na PetBrazil Clínica Veterinária em Foz do Iguaçu-PR. Desenvolve atividades de Responsabilidade Técnica e manejo de cães de detecção em vários estados do Brasil. Tem experiência na rotina de atendimento de cães e gatos há 28 anos ininterruptos.

Comentários

1 Comentário

Deixe a sua opinião