Colégio Sesi Internacional - display portal

No dia Mundial de Combate ao câncer, é uma oportunidade para se informar sobre prevenção do câncer, controle e situação atual dessa doença.

Se pensarmos nos 17 milhões de novos casos de câncer registrados no mundo a cada ano, nos nove milhões de pessoas que o mundo perde por ano por essa doença, nos 625 mil novos casos de câncer previstos só no Brasil para este ano, nos 230 mil óbitos esperados este ano em nosso país por essa doença, fica difícil negar a importância da data.

As campanhas alarmantes contra o covid-19 não deixam pensar em outras doenças. Mas o câncer matou mais gente neste ano do que o próprio covid-19.

O medo de sair de casa e de ir a um hospital interrompeu muitos exames preventivos e muitos tratamentos do câncer. Assim, a mortalidade por essa doença, que já é grande, tende a aumentar ainda mais num futuro próximo.

Uma alteração genética adquirida ou, mais raramente, herdada pode levar à multiplicação desordenada de algum tipo de célula do nosso corpo. Pode ser o início de um câncer. Cada tipo de célula desenvolve um tipo diferente de câncer.

Carcinomas são os tumores da pele e das mucosas. Adenocarcinomas são os tumores das células glandulares. Nos tecidos conjuntivos, como osso, músculo ou cartilagem, ocorrem os sarcomas. No tecido linfático, os linfomas, e nas células do sangue, as leucemias.

A agressividade e a gravidade variam de um tipo para outro, bem como da alteração genética que deu início ao processo.

Cerca de 1,5 milhão de mortes poderiam ser evitadas a cada ano com medidas adequadas de prevenção (exames preventivos), com diagnóstico precoce, ou com hábitos saudáveis de vida, como não fumar, uso não excessivo de bebidas alcoólicas, alimentação mais saudável, exercícios físicos regulares, controle do peso, não automedicação, e cuidados com a imunidade.

O câncer por alterações genéticas hereditárias é mais raro, menos de 10% dos casos. A maioria dos casos tem a ver com o estilo de vida das pessoas: o que se come, bebe-se e se respira, e com as agressões do meio ambiente.

Importante é a prevenção e o diagnóstico precoce. Ambos podem salvar muitas vidas. Não basta o esclarecimento.

A atitude tem um papel importante. A autoestima e o amor à própria saúde são decisivos, não só na prevenção como também no bom resultado do tratamento do câncer. Poucos duvidam de que quem se cuida mais adoece menos.

Quem se ama se cuida.

Levar a essa reflexão é o objetivo e a missão do Dia Mundial de Combate ao Câncer.

Antoninho Ricardo Sabbi

Membro emérito da Sociedade Brasileira de Cancerologia e Mastologia. CRMPR-7093.

Comentários

Deixe a sua opinião