Colégio Sesi Internacional - display portal

No setor da saúde, o compliance é importante em diversos processos, como na relação com fornecedores de insumos e equipamentos, com prestadores de serviços, na organização e controle de estoque, na governança corporativa, na análise de padrões de mercado, relacionamento com funcionários, entre outros aspectos relacionados à rotina clínica.

Isso faz com que se tenha um maior controle de risco dos diversos reveses que podem vir a ocorrer nas relações entre profissionais, estabelecimentos de saúde e pacientes, principalmente se levado em consideração que a busca pelo bem-estar, na atualidade, é uma crescente.  

Ou seja, a prática do compliance é fundamental para a área da saúde, auxiliando, ainda, a manter a credibilidade dos profissionais e instituições hospitalares.

Não à toa, nos últimos anos surgiram diversas regulamentações acerca do compliance na saúde, como é o caso da Resolução Normativa nº 443/2019, da Agência Nacional de Saúde (ANS), que dispõe sobre a adoção de práticas mínimas de governança corporativa, com ênfase em controles internos e gestão de riscos.

Nesse viés, em virtude da judicialização da saúde, cada vez mais crescente em nosso país, os profissionais e instituições estão optando pela criação de um comitê de política de compliance, que poderá ser composto por gestores, profissionais da saúde e, também, auxiliares jurídicos, com o objetivo de auxiliar nas circunstâncias advindas da gestão e para diminuir os riscos.

Não há dúvidas, portanto, sobre a importância do compliance para o setor da saúde, pois, por meio de iniciativas básicas, implementadas à luz da legislação, a atividade tende a ser mais organizada, produtiva, inovadora e eficaz.

Comentários

Deixe a sua opinião