Câncer em animais companheiros, como os cães e gatos. Como se desenvolvem os tumores? Confira e previna-se.

A origem da palavra câncer vem do latim “cancer”, que significa caranguejo e se relaciona à forma como a doença adentra aos tecidos adjacentes, imitando as pinças e patas do crustáceo, de maneira agressiva, de crescimento rápido, espalhando-se pelos órgãos (metástases) e impondo a necessidade de um diagnóstico precoce para que os tratamentos apresentem melhores prognósticos.

Já as neoplasias benignas têm características de serem menos agressivas e tendem a ficar confinadas ao local de origem. Mas essa regra não é absoluta em se tratando do câncer em animais.

Muito se estuda sobre as neoplasias nos animais, e os avanços referentes à prevenção, diagnóstico e tratamento dessa doença culminaram com a maior longevidade de cães e gatos, pois a maioria dos tumores ocorre em pacientes geriátricos.

Cães e gatos

Algumas raças de cães e gatos são mais predispostas geneticamente ao desenvolvimento de tumores. No entanto, no Brasil, especula-se que cerca de 80% dos cânceres em cães e gatos são de influência ambiental. É o caso de cães e gatos que convivem com fumantes ou em jardins contaminados por herbicidas. O uso de anticoncepcionais em cadelas ou gatas está fartamente documentado como causa de neoplasias mamárias.

Estudos científicos demonstram que a incidência de neoplasia em cães e gatos pode ser reduzida por meio de certos procedimentos: esterilizar os animais antes do primeiro cio; esterilizar machos que não apresentam os dois testículos na bolsa escrotal; evitar exposição a substâncias químicas e radiações; manter uma dieta balanceada; prevenir infecções virais, ectoparasitas e vermes, além de evitar fatores de estresse.

Da mesma forma, os exames periódicos em cães e gatos (checape) com idade acima de 8 anos ajudam a detectar precocemente esse mal, facilitando o tratamento e a cura e permitindo que tenham uma vida mais longeva e saudável.

Paulo Henrique da Silva

Graduado em Medicina Veterinária pela Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1991). Mestre em Ciência Animal pela Universidade do Oeste Paulista (2013), Especialista em Clínica Médica e Cirúrgica em Cães e Gatos pela Universidade Federal do Paraná – Campus Palotina(2008) e em Marketing e Propaganda pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Cascavel (1999). Professor Celetista no Centro Universitário Dinâmica das Cataratas nas disciplinas de Patologia Clínica Veterinária e Anestesiologia Veterinária (2012-2016). Pós-graduando em Gestão Empresarial pela FGV. Atualmente trabalha como Clínico e Cirurgião Geral na PetBrazil Clínica Veterinária em Foz do Iguaçu-PR. Desenvolve atividades de Responsabilidade Técnica e manejo de cães de detecção em vários estados do Brasil. Tem experiência na rotina de atendimento de cães e gatos há 28 anos ininterruptos.

Diálogos 100fronteiras

2 Comentários

Deixe a sua opinião