Colégio Sesi Internacional - display portal

Muito em virtude do desconhecimento a respeito do problema ou até mesmo por certo tabu sobre a doença.

Mas é fundamental saber o que ela é e o que deve ser feito para tratá-la, assim como evitar divulgar informações falsas sobre a doença.

Por isso, no nosso conteúdo de hoje, você vai entender mais sobre a doença hemorroidária.

O que é?

Os plexos venosos hemorroidários, também chamados de coxins ou mamilos hemorroidários, são estruturas anatômicas normais presentes no canal anal que protegem do traumatismo decorrente da evacuação e contribuem para a continência fecal.

Com o passar do tempo, esses coxins podem perder sua estrutura normal, sofrendo dilatação e aumentando de tamanho, surgindo então a doença hemorroidária.

É uma condição comum na população adulta, principalmente entre 25 e 50 anos.

  • Quais pessoas apresentam mais risco de desenvolver doença hemorroidária?

As que tenham constipação intestinal, diarreia crônica, idade avançada, hereditariedade, esforços exagerados, cirrose, gravidez e obesidade, além das que façam uso abusivo de laxativos.

  • Como eu classifico a doença hemorroidária?

Em geral, as hemorroidas são classificadas como:

  • internas: localizadas acima da linha denteada;
  • externas: localizadas abaixo da linha denteada; e
  • mistas: quando há doença hemorroidária interna e externa.

A doença hemorroidária interna pode ser classificada em:

  • grau 1: quando não há exteriorização da hemorroida;
  • grau 2: quando há exteriorização, mas o retorno da hemorroida acaba sendo espontâneo;
  • grau 3: quando é necessário um auxílio manual para o retorno; e
  • grau 4: quando a hemorroida não retorna nem com o auxílio manual.

Doutor, quais são os sintomas e como é feito o diagnóstico da doença hemorroidária?

O diagnóstico da doença hemorroidária é baseado na história clínica detalhada, exame físico e exame proctológico.

O exame proctológico consiste no exame da região anal e perianal, e na anuscopia, que permite a visualização interna do canal anal e reto.

Os principais sintomas são: sangramento, prolapso, dor/desconforto anal, ardência anal e mucorreia.

Como é feito o tratamento?

A abordagem ao paciente poderá ser disposta de três formas: tratamento conservador, tratamento no consultório e tratamento cirúrgico.

Tratamento conservador

A abordagem de tratamento inicial para a maioria dos pacientes com doença hemorroidária sintomática é conservadora, consistindo em modificação da dieta/estilo de vida e no uso de medicamentos tópicos e orais para aliviar os sintomas.

O tratamento conservador apresenta sucesso em grande parte dos pacientes.

Tratamento no consultório

Geralmente é oferecido a pacientes com doença hemorroidária interna de graus iniciais sintomática refratária a tratamento conservador. Os procedimentos comuns realizados no consultório incluem ligadura elástica, escleroterapia e coagulação por infravermelho. Geralmente são rápidos, praticamente indolores e com uma boa resposta.

Tratamento cirúrgico

A excisão cirúrgica de hemorroidas continua sendo muito eficaz para o tratamento de doença hemorroidária sintomática, mas é reservada a pacientes selecionados.

Uma hemorroidectomia pode resolver os sintomas do paciente e minimizar a recorrência quando realizada adequadamente.

Existem diversas técnicas para o tratamento cirúrgico. As mais realizadas são a técnica de cirurgia convencional, a técnica com grampeador mecânico e o método THD (transanal hemorrhoidal dearterialization).

As duas últimas consistem em procedimentos cirúrgicos pouco invasivos e menos dolorosos.

Doutor Hijazi

Doutor Hijazi é cirurgião geral e um dos poucos coloproctologista em Foz do Iguaçu e colunista da revista 100fronteiras.

Comentários

Deixe a sua opinião