Karla Costa, no grupo “Elogios e reclamações de Foz do Iguaçu e Região”, publicou: “Somente serviços essenciais?????? Fecham os estacionamentos, lojas “tudo” e ‘Estarfi’ são essenciais????”, juntamente com uma foto da rua Almirante Barroso, no centro de Foz do Iguaçu, em que aparece uma funcionária do Estarfi. O post até agora rendeu mais de 1,1 mil curtidas e 275 comentários.

Tendo em vista a inquietação da população, a reportagem da 100fronteiras foi atrás para saber qual é a posição do superintendente da Foztrans, Fernando Maraninchi, que respondeu via áudio através de aplicativo de mensagens, o seguinte:

“O decreto do governador fala em atividade econômica não essencial, então o Estarfi não enquadra no conceito de atividade econômica. Por que não? Porque é um serviço público. É um serviço público não lucrativo que deu prejuízo de 800 mil reais ano passado. Então não é uma atividade econômica só porque cobra. Esse é o conceito de atividade econômica. Outra coisa, é considerado essencial. Por que é considerado essencial? Porque é um serviço de fiscalização. E mais. É um serviço necessário para atender interesse dos empresários que querem rotatividade na frente de seus negócios”.

Ele continua: “Não pode ser considerado caça níquel, não pode ser considerado uma máquina de ganhar dinheiro porque só dá prejuízo. Por que dá prejuízo? Pelas políticas erradas de outrora. Elas trabalharam hoje de manhã, aí vários vereadores questionaram, criticaram. Então se achou melhor, agora na reunião, a gente suspender o trabalho delas para elas não estarem se expondo ao coronavírus. Então devem ter parado ali por volta de 13h”.

Perguntamos a ele se as multas de cidadãos, recebidas pela manhã, continuariam válidas e a resposta foi: “Depende do argumento que usarem. Parecer jurídico que definirá isso”.

Ainda conforme Fernando, o serviço do Estarfi fica suspenso, a princípio, até o dia 14 de julho.

Foztrans: nota de esclarecimento oficial

O Foztrans informa que as atividades relativas ao Estacionamento Regulamentado de Foz do Iguaçu (Estarfi) estão suspensas até o próximo dia 14 de julho, conforme decreto estadual.

Os prazos para regularização de avisos do Estarfi, interposição de recursos referentes às infrações de trânsito e de indicação de condutor, foram prorrogados para o dia 16 de julho.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião