Nova ponte fortalece integração Brasil-Paraguai, diz ministro da Infraestrutura

Tarcísio Gomes de Freitas fez a sua primeira visita ao canteiro de obras e agradeceu a parceria com a Itaipu e o governo do Estado.

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, fez na tarde desta  sexta-feira (28) a sua primeira visita ao canteiro de obras da Ponte da  Integração  Brasil-Paraguai,  que  vai  ligar  Foz  do  Iguaçu  (PR)  a Presidente  Franco.  Ele  estava acompanhado do diretor-geral brasileiro de Itaipu,  Joaquim  Silva  e  Luna,  e  do governador do Paraná, Carlos Massa
Ratinho Júnior.
De  acordo  com o ministro, a obra será importante para impulsionar o comércio e fortalecer as relações bilaterais entre Brasil e Paraguai. “Acho que o Paraguai é um grande parceiro, que vem crescendo muito, e obviamente, quando  você  coloca  um  equipamento  deste nível, facilita a integração”, afirmou.
Ainda  segundo Freitas, a integração regional sul-americana faz parte da  política  de transportes do governo federal e os investimentos no setor beneficiam  ambos  os  lados  da  fronteira. “É uma relação de ganha-ganha.Quanto mais próximos estivermos dos irmãos paraguaios, melhor.”

         O ministro esteve na cidade para inaugurar a ampliação e melhorias do Aeroporto  Internacional  e aproveitou para verificar o andamento das obras na  nova  ponte,  na  margem brasileira do Rio Paraná, ao lado do Marco das Três  Fronteiras.  A  infraestrutura  está sendo construída com recursos de Itaipu.

O  ministro destacou que as obras estão correndo dentro do cronograma previsto  e agradeceu a parceria com a binacional e o governo do Estado. “A gente  pode  ver  os  corações  da  obra  começando  a  bater,  que  são as concretagens  dos  blocos”,  declarou  Freitas, que elogiou o andamento dos trabalhos.  “As  obras  estão  indo  bem, dentro do esperado, em direção ao cumprimento do cronograma.”

Ainda   de  acordo  com  o  ministro,  a  nova  infraestrutura  é  um compromisso  assumido  pelo  presidente  Jair  Bolsonaro logo que assumiu o cargo,  há  pouco  mais de um ano, e só saiu do papel graças ao empenho dos governos federal e estadual, Dnit e Itaipu.
Para  o  governador  Ratinho  Júnior,  obras  como a nova Ponte entre Brasil  e  Paraguai  ajudam  a  transformar  o  Paraná num dos Estados mais modernos  do  País,  com condições  de competitividade e conectividade sem igual.  “Essa  é uma obra extremamente complexa e importante para o Paraná, Brasil  e Paraguai. É importante registrar que a discussão e o planejamento para a execução desse projeto já existem há muitos anos, porém, há menos um ano  nós  o tiramos do papel ao lado da Itaipu, governo federal e o governo
do  Estado,  que tem a responsabilidade de fazer a gestão dessa obra, junto ao Dnit e DER”, afirmou.

Ratinho  Júnior  acrescentou  que  “o  Paraguai  é um país irmão, que possui  uma  relação  comercial  muito forte com o Brasil”. “Com o Paraguai indo  bem,  o  Paraná  também  vai,  e  vice-versa. Essa obra vai ajudar em logística  e  em  segurança  pública, pois teremos um sistema de fronteiras mais  organizado,  com  uma  fiscalização  mais apropriada na luta contra o contrabando”, finalizou.

O  diretor-geral  brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, justificou o apoio da Itaipu às obras que vão mudar Foz do Iguaçu e região. “Além  de  gerar  energia  elétrica de qualidade, também faz parte da missão  da  Itaipu  impulsionar  o  desenvolvimento  econômico, turístico e tecnológico,  sustentável, no Brasil e no Paraguai, por isso entendi, junto
com  a  minha  diretoria,  que  deveríamos  investir  naquilo  que deixasse legado”, afirmou. “Queremos que o cidadão comum perceba com facilidade onde o   dinheiro   está  sendo  aplicado  e,  por  isso,  investimos  em  obras estruturantes,  como  esta  ponte,  o aeroporto e tantas outras, inclusive, agora, a duplicação da BR 469”.

Como vai ser

A  nova  ligação  entre Brasil e Paraguai começou a ser construída em agosto  de  2019,  com  recursos  da margem brasileira da binacional. Serão investidos R$ 463 milhões no projeto, dos quais R$ 323 milhões na ponte e R$  140  milhões  para  a Perimetral Leste, que dará acesso aos motoristas à BR-277. O prazo de execução é de três anos.

A  nova  estrutura  terá 760 metros de comprimento e vão-livre de 470 metros,  com duas torres de 120 metros de altura. A pista será simples, com 3,7  metros  de  largura de cada lado, acostamento de 3 metros e calçada de 1,70 metro.

O   engenheiro   Osman   Bove,   gerente  de  contrato  do  Consórcio Construbase-Cidade-Paulitec,  disse  que  aproximadamente  12% das obras da nova ponte já foram executadas. Os trabalhos estão mais avançados na margem brasileira  –  houve  problemas  burocráticos  para envio de equipamentos e materiais  para a margem paraguaia, já superados. “A previsão de entrega da obra  é  março  de  2022  e estamos trabalhando para atender a esse prazo”, afirmou.

A nova ponte entre Brasil e Paraguai é uma antiga reivindicação. Além de  fortalecer o comércio bilateral, terá papel importante para desafogar o trânsito  de  veículos  pesados  na  Ponte da Amizade, hoje a única ligação entre os dois países sobre o Rio Paraná.

      Nova gestão

A  produção  de  energia  e  os  investimentos  em  grandes  obras de infraestrutura  são o foco da atual gestão de Itaipu, que assumiu a empresa há  um ano e adotou uma política de austeridade e readequação orçamentária. Cortes  em  convênios  e  patrocínios  sem  aderência  à  missão da empresa permitiram  uma  economia  superior  a  R$  600  milhões,  que  estão sendo redirecionados para os novos projetos.

Além   da   Ponte  da  Integração  Brasil-Paraguai,  Itaipu  anunciou investimentos  no  Aeroporto  Internacional  de Foz do Iguaçu (ampliação da pista  de  pousos e decolagens e do pátio de manobras), reforma e ampliação do  Hospital  Ministro  Costa  Cavalcanti  (HMCC),  construção  de  um novo hemonúcleo, construção do Mercado Municipal, obras viárias, entre outras.

Ainda  nesta  sexta-feira,  também  foi  anunciada a duplicação de um trecho  de 8,5 quilômetros da Rodovia das Cataratas (BR-469), entre o trevo da  Argentina  e o portão do Parque Nacional do Iguaçu. O investimento será de  aproximadamente R$ 135 milhões – 70% financiados pela Itaipu e 30% pelo governo  do  Estado.  A previsão é que a obra esteja concluída até março de 2022.

      A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional  é  líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido,  desde  1984,  2,7 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia  retomou  o  recorde  mundial  anual de geração de energia, com a marca  de  103.098.366 MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de  aproximadamente 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai.

Newsletter

Ama a tríplice fronteira tanto quanto nós? Assine a newsletter 100fronteiras e receba conteúdo exclusivo. Seu apoio aprimora nosso trabalho para que possamos ajudar a aprofundar sua conexão com Ciudad del Este, Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú enquanto investimos no futuro do jornalismo local.

Participe da comunidade 100fronteiras

Apoiando o jornalismo local, você valoriza a sua cidade, seu estado e a integração dos três países. Nossa equipe está diariamente trazendo notícias da fronteira, apresentando novos lugares, histórias. Assinando você receberá conteúdos e promoções exclusivas.

Entre em nosso grupo do Whatsapp. Apoie a mídia local!

Nos encontramos lá, até mais!



Deixe a sua opinião