Quem recebeu a homenagem foi o reitor da UNILA, Gleisson Brito, das mãos do presidente do Legislativo, que também foi o proponente da moção, vereador Beni Rodrigues (PTB).

A homenagem foi em reconhecimento pelo compromisso da UNILA com a educação e a formação de cidadãos nesta década de ensino superior na cidade, contribuindo para o desenvolvimento intelectual, social e econômico da região. O reitor agradeceu e destacou que a UNILA possui 29 cursos de graduação, 12 de mestrado e 1 de doutorado.

“Nesta pandemia tivemos uma atuação muito forte, com a realização de mais de 30 mil exames para a Covid-19, a produção de máscaras e de álcool em gel, e também a atuação de professores e estudantes na telemedicina. A UNILA também injeta muitos recursos na economia da cidade, que gira em benefício do próprio município”, completou Gleisson Brito.

A moção foi apresentada em fevereiro e subscrita por todos os vereadores da Câmara. O documento com a proposta lembra o lançamento da pedra fundamental do campus Integração, ocorrido no dia 13 de janeiro deste ano, e relata os resultados obtidos pela Universidade em 10 anos de atuação, como a estruturação dos 29 cursos de graduação, 12 cursos de mestrado e 1 de doutorado, oferecidos de forma gratuita. A proposta lembra, ainda, a produção científica e a presença da UNILA na comunidade por meio de ações de extensão.

Criada em 12 de janeiro de 2010, a UNILA tem a missão de formar recursos humanos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da América Latina. As atividades acadêmicas da Universidade tiveram início em 16 de agosto daquele mesmo ano. O reitor lembra que Foz do Iguaçu foi escolhida para sediar a Universidade por sua localização estratégica e por ser uma das regiões com a maior diversidade de culturas e de línguas.

“As características de Foz estão diretamente ligadas à vocação da Universidade, que também é multiétnica e multilíngue”, destaca. “Hoje, a UNILA recebe estudantes de 32 nacionalidades. É a universidade mais internacional do país.”

A Universidade, que começou com 213 estudantes do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina, distribuídos em 6 cursos de graduação, tem, hoje, mais de 5 mil alunos em 29 cursos.

“A UNILA está aqui para contribuir para o desenvolvimento regional, formando profissionais de todas as áreas do conhecimento para atuarem no município, e também para contribuir para o desenvolvimento da cidade na área da educação”, afirma Gleisson.

Gleisson Brito e Beni Rodrigues. Foto: Assessoria.

Para o reitor, é importante o “enraizamento” da Universidade no seu entorno. Isso pode ser medido pelo número de servidores nascidos na cidade e na região – são mais de 300 –, pelo número de pesquisas relacionadas diretamente à cidade – 49 – e também a partir das ações de extensão, que são atividades realizadas para e com a comunidade. Desde 2010, foram mais de 1.300 ações de extensão, com atendimento acumulado de 1,4 milhão de pessoas (uma pessoa pode ter sido atendida em mais de uma ação) na cidade e região. Neste ano, estão em execução 199 ações de extensão, de forma remota e também no enfrentamento da Covid-19, com expectativa de atendimento de 618 mil pessoas.

Participe da conversa

1 Comentário

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião