Com o investimento de R$18.198.229,75 milhões, vindos do Governo Federal e do Tesouro Estadual, a obra da cadeia pública de Foz do Iguaçu está quase no fim, com 75% concluídos. A expectativa é que a obra da cadeia pública de Foz desafogue o sistema penitenciário da cidade, que estava sofrendo há tempos com os números altos. A nova unidade terá 752 vagas.

O secretário de Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, visitou as obras e acompanhou o andamento e as novidades da construção. “Sempre vamos aos canteiros de obras da área da segurança para ver in loco o andamento das instalações, se falta algo, se os trabalhos estão em dia, o que é muito importante para uma conclusão adequada”, diz o secretário.

Na visita à nova cadeia pública de Foz, o coordenador regional do Departamento Penitenciário (Depen/PR) da cidade, Marcos Aparecido Marques, juntamente com sua equipe de gestão, mostrou detalhes da obra.

Obras da cadeia pública de Foz. Foto: Sesp

O avanço da construção nas galerias e espaços operacionais e administrativos está em ótimo progresso, e a estrutura contará com dez módulos, sendo quatro espaços de vivência coletiva e seis de vivência individual; área para visitas íntimas; local de assistência à saúde; e cobertura para visitantes.

“Com a conclusão da Cadeia Pública, que faz parte do projeto de ampliação do sistema prisional da região, teremos mais 752 vagas. Isso vai permitir desafogar carceragens e poderemos dar suporte para esvaziar as delegacias das regiões de Francisco Beltrão e de Guarapuava”, esclareceu Marques.

Mesmo com a crise da pandemia, a cidade não parou; os trabalhos prosseguem a cada dia, com o objetivo de que a cadeia pública de Foz fique pronto em breve para receber presos da região. O secretário Marinho ainda destaca que os investimentos do Governo do Estado e do Governo Federal têm sido aplicados na construção de penitenciárias e cadeias públicas para reestruturar o sistema carcerário em todo o Paraná.

Comentários

Deixe a sua opinião