O Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) recebeu 57 demandas de empresas de médio e grande porte do Paraná com questões que precisam ser resolvidas para melhorar a competitividade e, consequentemente, gerar desenvolvimento para o Estado.

Na segunda-feira, 05, em uma nova etapa do Programa de Inovação Corporativa, para o qual as propostas foram enviadas, o Parque Tecnológico inicia um processo de capacitação de 60 possíveis soluções para essas empresas – entre as quais estão pequenas empresas, startups e novos empreendedores.

Quase 100 projetos de soluções inovadoras foram recebidos, dentre os quais uma banca de especialistas selecionou 60, que participam agora de uma pré-incubação, com duração de dois meses. Nesta etapa, os empreendedores recebem uma bolsa-auxílio de R$ 1,2 mil por mês para o suporte à validação da ideia e acompanham workshops e mentorias individuais para preparar suas soluções para o mercado.

Na última sexta-feira, 01, os participantes da pré-incubação do Programa de Inovação Corporativa foram apresentados ao funcionamento desta fase da iniciativa pelo coordenador da Incubadora Santos Dumont do PTI, Pedro Sella, e pelo analista de negócios Wilmar Júnior, em um evento online. Ao todo, serão 12 workshops, com temas como cultura e negócios; inovação e custos; definições comerciais; e operação do negócio.

O coordenador da Incubadora explicou que o programa foi desenvolvido em parceria com a Fundação Araucária com o objetivo de desenvolver fornecedores de tecnologia, visando a atração e retenção de talentos, em prol do aumento da competitividade da indústria regional e do desenvolvimento da economia regional.

Foto: Assessoria.

O desenvolvimento das soluções terá o envolvimento das empresas e indústrias que cadastraram as demandas, tanto no suporte técnico, como na validação dos projetos, que ao final da etapa da pré-incubação serão novamente submetidos a uma banca de avaliadores. Nesta próxima seleção, serão escolhidos 13 projetos, que em 2021 serão formalizados como empresas e incubados no Parque Tecnológico, com o auxílio de R$ 32 mil para o desenvolvimento das soluções.

“O objetivo da Incubadora é auxiliar e induzir vocês a um processo de desenvolvimento do negócio”, destacou Pedro. “Todo o time do PTI estará com vocês para dar o suporte necessário”, complementou.

Programa de Inovação Corporativa

Em virtude da pandemia do coronavírus, o edital do Programa de Inovação Corporativa, que integra as ações do Acelera Foz, passou por uma reestruturação em maio deste ano. Além de aliar as demandas de empresas com projetos de soluções de empreendedores, foi criada uma nova linha para “Medidas de combate aos efeitos econômicos da Covid-19”. Neste eixo, foram selecionados projetos voltados ao auxílio da retomada econômica de cinco empresas, que receberão investimentos de até R$ 100 mil para aceleração. No dia 15 de outubro haverá a cerimônia para formalização dos contratos com as empresas.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião