Diretores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária de Soja (Embrapa Soja) visitaram nesta quarta-feira, o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI-BR).

A ideia da visita é fomentar parcerias para futuras pesquisas e colaborações, visando encontrar soluções inteligentes e sustentáveis para a iniciativa privada.

O encontro com a comitiva da Embrapa contou com a participação dos diretores do PTI-BR, General Eduardo Garrido (superintendente), Rodrigo Régis (negócios e inovação) e Rafael Deitos (técnico), Flaviano Masnik (Administrativo-Financeiro).

“Nós temos vários pontos de complementariedade. A ideia desta visita é aproximar as nossas equipes, avançar em projetos que já temos em andamento e identificar novas áreas para futuras colaborações”, disse Alexandre Lima Nepomuceno, chefe-geral da Embrapa Soja.

O diretor superintendente do PTI-BR, General Eduardo Garrido, valorizou a iniciativa.

“A visita da comitiva da Embrapa Soja é muito importante para o Parque Tecnológico de Itaipu. A Embrapa Soja é uma instituição referência em agronegócios, com contribuições históricas relevantes para este setor, que é uma das nossas temáticas de atuação”, disse Garrido.

Entre os projetos do PTI que chamou a atenção da comitiva visitante, o projeto Vila A Inteligente foi destacado. Segundo Alexandre Nepomuceno, a Embrapa Soja possui um projeto chamado “Smart Farm” que, em linhas gerais, objetiva desenvolver soluções inteligentes e tecnológicas em fazendas modelos.

Desse modo, o projeto Vila A Inteligente pode ser uma referência para o projeto da Embrapa Soja.

“Estamos investindo muito para trazer essas ferramentas para os nossos produtores: drones, sensores, medidores com algoritmos de inteligência artificial aplicados em softwares para ajudar os produtores a tomarem suas decisões, aumentando a produtividade, mas principalmente garantindo a sustentabilidade econômica, ambiental e social”, afirmou.

Embrapa-Soja-visita-PTI
Foto: Kiko Sierich/PTI.

A Embrapa Soja é uma das 42 unidades de pesquisa da Embrapa. Sua contribuição histórica ao agronegócio da soja no Brasil coloca a unidade como referência mundial no desenvolvimento de tecnologias para a cultura em regiões tropicais.

Entre suas contribuições estão o desenvolvimento de plantações adaptadas a regiões de baixas latitudes, o controle biológico de pragas, as técnicas de manejo e conservação do solo, entre outras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião