Até o final deste mês, quem passar à noite por estruturas da usina de Itaipu, como a Concha Acústica do Gramadão da Vila A, em Foz do Iguaçu (PR), verá as cores da campanha Setembro Amarelo, iniciativa para a prevenção ao suicídio.

Desde a última semana, os tons da campanha passaram a iluminar o local e também a fachada do Centro de Recepção de Visitantes (CRV) da Itaipu, as calotas do Parque da Piracema e o monumento da Unila, instalados na área da usina. No Gramadão, a natureza deu a sua contribuição, ainda que involuntária, à iniciativa: os ipês-amarelos estão todos floridos.

Neste Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio (10), a binacional reforça a necessidade de atenção ao tema, que deve ser tratado com transparência e muita conversa.

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

“A Itaipu é uma empresa responsável e reforça, por meio dessa iniciativa do Setembro Amarelo, o compromisso de alertar a população sobre doenças que devem ser levadas a sério, e a prevenção ao suicídio é muito importante”, diz o diretor-geral brasileiro da usina, general Joaquim Silva e Luna.

Segundo o Centro de Valorização da Vida (CVV), o Brasil tem uma morte por suicídio a cada 45 minutos. São 32 mortes por dia. O órgão alerta, ainda, que alguns sinais servem como alerta. Entre eles estão isolamento, mudanças marcantes de hábitos, perda de interesse por atividades de que gostava, descuido com a aparência, piora do desempenho na escola ou no trabalho, alterações no sono e no apetite, frases como “preferia estar morto” ou “quero desaparecer”.

Nestes casos, o socorro pode vir de qualquer pessoa, seja um amigo, parente, colegas de trabalho e de escola, professores, ou dos voluntários do CVV.

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

“Não existe prevenção com tabu e estigma. A informação clara e objetiva é fundamental para a promoção da saúde mental”, afirma Cristiane Penha da Silva Fraga Pimenta (OP.DT), uma das voluntárias do CVV de Foz do Iguaçu e empregada da Diretoria Técnica da Itaipu.

Para conversar com um deles, basta ligar para o telefone 188, gratuito, que funciona 24 horas. Também é possível mandar um e-mail ou falar pelo chat, que podem ser acessados pelo site www.cvv.org.br.

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião