Nossa Mata Atlântica – Edição de Outubro da revista 100fronteiras

760

A preocupação com as florestas brasileiras e com as espécies nativas, tanto de plantas como de animais, é um assunto em evidência atualmente devido às queimadas na Amazônia. Mas bem perto de nós, aqui em Foz do Iguaçu, existem duas grandes mulheres que há 25 anos têm trabalhado pela preservação de espécies. Anna e a filha Carmel Croukamp realizam um lindo trabalho no Parque das Aves e, desde 2017, assumiram também o compromisso de voltar todas as atenções do parque para os animais da Mata Atlântica como forma de evitar a extinção.

“A Mata Atlântica possui muitas aves que estão desaparecendo devido principalmente ao desmatamento, mas também à caça e ao tráfico, e atualmente 120 espécies e subespécies desse bioma encontram-se ameaçadas”, destaca Carmel.

Além disso, mesmo a Mata Atlântica sendo o segundo bioma mais biodiverso do planeta e concentrando o maior número de espécies endêmicas, os brasileiros sequer sabem que fazem parte dessa riqueza de biodiversidade. “É preocupante nossa situação em relação à Mata Atlântica. Dela provém água, equilíbrio do clima, alimentos, plantas e princípios ativos para alguns medicamentos, além da proteção do solo e, por consequência, o sucesso na agricultura”, avalia Carmel.

Por isso, uma das missões do Parque das Aves é apoiar diversos projetos de conservação em estados de Mata Atlântica, além de ser a sede do Centro de Sobrevivência de Espécies: Brasil, da Comissão de Sobrevivência de Espécies da União Internacional para Conservação da Natureza (UICN CSE). O Parque das Aves é também a primeira instituição zoológica no Brasil a receber o reconhecimento internacional pela Alpza (Associação Latino-Americana de Parques Zoológicos e Aquários), devido ao excelente trabalho que realiza com os animais que abriga e o meio ambiente, bem como com os visitantes e colaboradores.

Foz do Iguaçu é o berço de grandes riquezas naturais. Aqui temos as Cataratas do Iguaçu – uma das 7 Novas Maravilhas da Natureza; o Parque Nacional do Iguaçu – Patrimônio Natural de Humanidade; e o Parque das Aves, que possui mais de 140 espécies de animais que foram resgatados principalmente de situações de maus-tratos e tráfico.

São tantas riquezas naturais que fazem da cidade não somente um dos locais mais visitados do país e do mundo, como também um lugar de grande diversidade, e cabe a cada um de nós cuidar dessa biodiversidade e garantir que as gerações futuras tenham acesso à qualidade de vida que a natureza nos proporciona. A Mata Atlântica é nossa – e, se é nossa, a gente cuida.



Formada em Jornalismo (UDC) e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas (Unila), atualmente é jornalista e editora na Revista 100fronteiras.


Deixe um comentário