A adesão às plantinhas na quarentena virou até meme: “Quem não adotou uma planta durante o distanciamento social viveu a quarentena de forma errada”, dizem. E realmente a moda caiu no gosto das pessoas. Eu mesma, a jornalista que vos escreve, trouxe plantinhas para dentro do meu pequeno apartamento e pude sentir a diferença que esse objeto verde e vivo proporciona não só para a decoração do ambiente como também para o bem-estar.

Apesar de atualmente estar bastante em alta por conta do distanciamento social, o uso de plantas é um item curinga para a decoração dos espaços, seja em casa ou no escritório.

Conhecido como urban jungle (floresta urbana), o termo representa uma integração entre o mundo externo e interno, trazendo a natureza para dentro do lar. Algo essencial principalmente para grandes centros onde os espaços sociais contêm pouca área verde e muito concreto, e assim a inclusão de plantas transmite essa sensação de estar em meio à natureza.

(Foto: Jessica Marquezini)

Como montar um espaço para ter plantas dentro de casa?

“Eu tava me sentindo bem perdida, bem triste na verdade, aqui em Foz, sem meus pais, já que faz mais de cinco meses que eu não os vejo, então eu olhava aqui pra casa e parecia que faltava alguma coisa aqui para eu ocupar meu tempo. Mesmo fazendo meus cursos e lendo, eu sentia que faltava alguma coisa aqui dentro. Então eu fui atrás de plantinhas, sozinha mesmo, fui numa floricultura e perguntei qual era a planta mais fácil de cultivar, e ele me sugeriu a espada-de-são-jorge, que foi a minha primeira plantinha”, destaca Jessica Marquezini Grellmann, cuja paixão por plantas iniciou na pandemia.

Morando em apartamento, Jessica conseguiu adaptar a casa para receber as plantas e aproveitar as sensações de bem-estar que elas oferecem, como: purificação do ar, conforto emocional e calmaria.

Jessica encontrou um novo hobby no cuidado com as plantas dentro de casa.

Além disso, Jessica uniu o bem-estar que as plantinhas proporcionam à decoração do ambiente, que ficou mais alegre e vivo. “Nossa casa agora é aconchegante, elas trouxeram pureza e alegria com essas cores nos detalhes delas. Cada uma com seu charminho e seus jeitinhos próprios de sobreviver”, ressalta.

Seja em um espaço amplo ou pequeno, todo mundo pode ter plantas em casa. Atualmente as plantas que mais se destacam em ambientes internos são as folhagens, que com sua diversidade de cores e formas transformam qualquer cantinho. Sem contar que usando a criatividade ou as dicas de um paisagista você ainda pode variar nos formatos dos vasos, mesclando cores e disposição deles no ambiente.

Salas, cozinhas, varandas e até mesmo banheiros são locais que podem receber uma plantinha. Quem preferir dar uma cara ainda mais de selva para o espaço pode optar por pintar as paredes em tons verdes e arenosos ou incluir outros elementos como madeira.

Para quem preferir centralizar todas as plantas em um único lugar, a criação de jardins verticais e até mesmo hortas é a melhor opção, podendo assim fazer uso de uma estrutura de pallets ou mesmo algum material reciclável para fixar os vasos. Basta usar a criatividade.

Plantas para cultivar dentro de casa

Como dito, as folhagens são as melhores opções para quem deseja ter plantas dentro de casa, onde há pouca incidência de luz solar e que não exigem muitos cuidados. Mas quem optar por ter flores pode também, tudo depende do tempo que você tem para dedicar-se ao cuidado das plantas, já que elas são seres vivos que sentem a energia humana e reagem ao ambiente no qual estão inseridas.

(Foto: Jessica Marquezini)

“Eu nunca havia cuidado de plantas antes, em casa só tinha as artificiais. A maior dificuldade em cuidar das plantas é com relação aos gatos, que ainda são pequenos, e por isso preciso deixar as plantas em locais altos para eles não quererem brincar e estragá-las”, explica Jessica. No entanto, o que começou com uma espada-de-são-jorge em pouco tempo se transformou numa pequena floresta. Hoje Jessica conta com 16 espécies de plantas em seu apartamento, mas somando todas as que tem são mais, porque algumas das espécies se repetem. São elas:

  • Zamioculca
  • Maranta
  • Abacaxi roxo
  • Asplênio
  • Filodendro
  • Suculenta
  • Begônia
  • Calathea
  • Ficus elástica
  • Hera
  • Jiboia
  • Samambaia
  • Columeia
  • Lírio da paz
  • Bambu (Dracaena sanderiana)
  • Pacová

Entretanto, para cuidar dessa variedade de plantas, Jessica decidiu pesquisar sobre o assunto, ler livros e até mesmo fazer cursos, algo que preencheu o vazio que ela estava sentindo e se tornou um novo hobby. “Atualmente estou fazendo um curso da Carol Costa de como tirar mudas, mas já aprendi sobre adubação também. Costumo comprar as plantinhas em Foz do Iguaçu e Santa Terezinha de Itaipu”, conta.

(Foto: Jessica Marquezini)

Vale destacar que essa lista é das plantas que Jessica tem em casa, contudo outras espécies são indicadas para ambientes internos, como: cacto, peperômia, palmeira-leque, costela-de-adão e árvore-da-felicidade. O importante antes de comprar é saber o espaço onde a planta ficará e o tempo que você terá para dedicar-se a ela.  

Iluminação natural

Agora que você já aprendeu um pouco sobre quais plantas cultivar em casa, não esqueça que a luz natural é muito importante para manter as plantinhas saudáveis, além de gerar bem-estar para as pessoas, já que a iluminação é vital para a sobrevivência das espécies.

Hortas verticais também são uma opção para se ter em casa. (Foto: Patrícia Buche)

“A dica que eu dou: se você quer começar a cultivar plantas, não tenha medo. Na jardinagem não tem regra. Todos nós aprendemos somente quando realmente temos elas em nossas mãos. Regando, alimentando, observando, podando e, infelizmente, matando, tudo é aprendizagem. Cultive plantas com o alcance do seu tempo para elas”.

Jessica Marquezini Grellmann

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião