A cidade de Toledo, no Oeste do Paraná, recebeu, no começo de fevereiro, um conjunto de máquinas para apoiar a gestão de resíduos sólidos urbanos do município – trabalho desenvolvido pela Prefeitura Municipal em parceria com a Itaipu Binacional, conforme orientações do Governo Federal.

Foram entregues uma escavadeira hidráulica, um trator de esteiras e um caminhão. O investimento total é de R$ 2,5 milhões, sendo R$ 1,7 milhão da Itaipu, por meio do Programa de Gestão por Bacias Hidrográficas (GBH), e R$ 800 mil do município.

O objetivo principal é contribuir para o reforço do tratamento e da destinação adequada de resíduos sólidos, ações voltadas à preservação do lençol freático e da qualidade e quantidade de água que chega ao reservatório da Itaipu pelos rios da região.

O caminhão será empregado na coleta seletiva de resíduos, enquanto o trator e a escavadeira serão utilizados no manejo de rejeitos de aterros sanitários. Ainda para este ano estão previstos mais R$ 1 milhão em investimentos da Itaipu em outros equipamentos e infraestrutura para a gestão de resíduos em Toledo.

O GBH é operacionalizado com convênios, com uma série de ações em cada um dos 55 municípios que compõem a área de contribuição direta do reservatório de Itaipu – 54 deles no Oeste do Paraná e um no Mato Grosso do Sul.

O objetivo final é assegurar segurança hídrica e promover o desenvolvimento territorial da região, com ações voltadas à conservação da biodiversidade e de solos, além do saneamento ambiental. A Itaipu investe aproximadamente R$ 38 milhões por ano nos convênios do GBH.

Segurança hídrica: Itaipu investe em maquinários
Foto: Edison Poier/Itaipu Binacional.

Parceria pela água

“Esse é um trabalho em parceria, que tem na linha de frente os gestores de bacias da Itaipu, os profissionais do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), que prestam assistência técnica no diagnóstico e estruturação das ações de saneamento nos municípios, e as prefeituras, que colaboram e dão contrapartidas para a execução das ações”, explica o gerente da Divisão de Apoio Operacional da Itaipu, Gilmar de Oliveira.

“A Itaipu percebeu a necessidade de atuar no manejo dos resíduos a partir da constatação de que 63% dos municípios paranaenses destinam o lixo de forma incorreta”, afirma Oliveira. “Como esse passivo ambiental tem conexão direta com o nosso campo de atuação nos 55 municípios da região, formalizamos convênios com prefeituras, contribuindo para os programas estadual e nacional de resíduos sólidos.”

Édison Poier, assistente técnico da Divisão de Apoio Operacional da Itaipu, é gestor de bacias em seis municípios – entre eles, Toledo. Para ele, o reforço representado pela chegada do maquinário não vai beneficiar apenas Toledo, mas também as cidades vizinhas.

“Municípios que são polos regionais, como Toledo, acabam recebendo resíduos de cidades menores. Com melhor infraestrutura, Toledo terá mais condições de trabalhar de forma adequada a destinação desse material todo.”

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,8 bilhões de MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 8% de toda a energia consumida pelo Brasil e aproximadamente 85% do Paraguai.

Comentários

Deixe a sua opinião