O trabalho desenvolvido por Brasil e Paraguai por meio das ações da Itaipu Binacional foi destacado por especialistas durante a abertura do Simpósio Global de Soluções Sustentáveis em Água e Energia.

Realizado em Foz do Iguaçu entre os dias 13 e 15 de junho, o evento conta com a presença de especialistas de diversos países, além de representantes dos setores público e privado, para debater o tema.

A escolha da Itaipu como sede do encontro foi estratégica, uma vez que a empresa representa um exemplo de gestão sustentável da água.

“Itaipu nos mostrou como a colaboração pacífica e harmoniosa em uma companhia transfronteiriça pode funcionar como um caso de sucesso entre dois países compartilhando recursos como água e energia”, afirmou por meio de vídeo o subsecretário geral das Nações Unidas para Assuntos Econômicos e Sociais (Undesa), Liu Zhenmin. Para ele, é preciso pensar de forma integrada na manutenção de água e energia para que se tenha uma perspectiva de futuro.

Já o líder da equipe de energia sustentável da Undesa, Minoru Takada, destacou o papel da Itaipu como exemplo de exploração inteligente de recursos somada ao cumprimento de metas sociais.

“Nós temos que trabalhar com a sustentabilidade não apenas em relação ao planeta, mas em relação às pessoas. Por isso estamos aqui. A Itaipu oferece um exemplo muito concreto de como se trabalhar com todos esses aspectos da sustentabilidade da agenda 2030”.

Segundo ele, por meio da Itaipu, Brasil e Paraguai construíram uma rede de projetos e programas que vão além da geração de energia e estão em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e com o Acordo de Paris.

A opinião é partilhada pelo diretor financeiro executivo da Itaipu, André Pepitone da Nóbrega. Representando o diretor-geral brasileiro, Anatalicio Risden Junior, ele reafirmou o papel da empresa no cumprimento da agenda climática mundial.

“Itaipu é o maior exemplo de como a exploração de um potencial hidráulico pode ser realizada de maneira sustentável, gerando progresso, crescimento econômico, bem-estar social, além de contribuir para a erradicação da pobreza”, disse.

Responsável pelo setor de meio ambiente da Itaipu, o diretor de Coordenação, Luiz Felipe Carbonell, lembrou que o cuidado com a água e seu entorno estão na gênese da empresa.

“Desde o momento em que ela surgiu houve também o planejamento ambiental. E graças a isso temos hoje uma relação da empresa de geração de energia com o desenvolvimento sustentável. Organizamos um círculo virtuoso em que geramos energia limpa e renovável e realizamos o desenvolvimento sustentável para que possamos gerar mais energia”.

trabalho conjunto de Brasil e Paraguai pelo meio ambiente
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Pontos recorrentes nos debates do primeiro dia do evento, os ODS servem como um direcionamento para as ações de empresas e entes públicos. O embaixador Manuel Maria Cáceres, diretor-geral paraguaio, fez questão de destacar que Itaipu é a única hidrelétrica do mundo comprometida com todos os 17 objetivos e lembrou da importância do evento como forma de evoluir o debate global sobre a sustentabilidade.

“Espera-se que os resultados das discussões e dos debates deste Simpósio sirvam para a elaboração do primeiro relatório mundial sobre a situação e sobre as tendências de soluções efetivas para o aproveitamento de água e energia”, disse. 

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,8 bilhões de MWh. Em 2021, a hidrelétrica foi responsável pelo abastecimento de 8,4% de toda a energia consumida pelo Brasil e 85,5% do Paraguai.

Comentários

Deixe a sua opinião