A estiagem e alagamentos exigiram atenção redobrada da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil neste início de ano. As primeiras semanas foram marcadas por intensa atividade em apoio aos municípios para atendimento a emergências e também de busca de recursos para ações.

Além disso, a entidade atuou também em capacitações de coordenadores municipais, reforçando as ações do Verão Paraná – Viva a Vida 2021/2022.

O período de estiagem prolongada e a falta de água em algumas regiões levaram alguns municípios a registrar ocorrências e laudos relatando os efeitos sobre a população. Foi necessária uma ação combinada entre governo estadual e municípios para auxiliar o processo de atendimento aos paranaenses.

O Governo do Estado decretou situação de emergência em virtude da situação. O Decreto 10.002/2021 inclui 69 municípios castigados pela seca e outros 48 municípios também estão em processo para a decretação de situação de emergência.

Levantamento feito pela Defesa Civil, com base nas informações enviadas pelos municípios, aponta que 229 mil pessoas estão sendo afetadas pela situação em todo o Estado, com prejuízos bilionários na agricultura, pecuária e no abastecimento de água potável. Com o Decreto de Situação de Emergência, será possível agilizar a transferência de recursos.

Segundo informações do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, a perda prevista decorrente da prolongada situação de estiagem chega a R$ 25 bilhões.

Com informações da Agência Estadual de Notícias.

Comentários

Deixe a sua opinião