Antônio Paulo Natucci é natural de São Paulo, capital, e formou-se em engenharia civil na Escola de Engenharia da Universidade Mackenzie, no ano de 1971. No início de sua carreira trabalhou em uma empresa da área de construções residenciais verticalizadas e ganhou experiência no setor em um momento em que a capital paulista vivia um boom de crescimento imobiliário com essas caraterísticas. 

Depois, em 1985, mudou-se para Foz do Iguaçu, local onde residia sua esposa. Aqui, antes de adentrar no setor imobiliário trabalhou por um período com destilaria de álcool, no entanto o negócio não foi para frente. Após voltar a São Paulo e ficar por lá por quatro anos, decidiu retornar para Foz e começar a atuar no setor imobiliário da cidade

Hoje, aos 74 anos, Paulo Natucci conta com a Natucci Engenharia Civil Ltda, construtora especialista em residências verticais e revitalização e conclusão de obras paradas. 

Quais os principais empreendimentos da Natucci e por que investir em residências verticais? 

O nosso primeiro empreendimento em Foz foi o edifício Azaléia, que conta com três dormitórios e sacada com churrasqueira, isso no ano de 1996. Depois construímos o edifício San Martin, na Av. República Argentina, com apartamentos menores, de 27 e 40 metros quadrados. Foi nesse edifício que iniciamos o trabalho com drywall, um sistema de construção a seco que agiliza o andamento das obras, isso nos anos 2000. Depois vieram o Villa Aurélia, Villa Appia, Mont Blanc, Ouro Verde, Riverside, Rialto e agora estamos fazendo o Sunset 3635 e o Villa Fomm. Toda a minha experiência está voltada para a construção de residenciais verticais e aqui em Foz há espaço para todos os segmentos de construção, por isso apostamos nesse formato. 

Paulo Natucci - engenheiro civil
Paulo Natucci – engenheiro civil

Por que atuar na restauração e finalização de edifícios parados?

Costumo dizerque fui escolhido para essa missão. Iniciamos esse trabalho com o edifício Villa Aurélia, que na época era uma obra parada e, se não me engano, estava na 12ª laje somente com a estrutura de concreto. Avaliamos toda a estrutura existente, atualizamos e refizemos todos os projetos e demos sequência ao empreendimento que foi um sucesso. A partir dali passamos a pegar outras obras que por algum motivo foram interrompidas e então modernizamos, finalizamos e vendemos. Hoje posso dizer com certeza que somos especialistas em dar continuidade a obras paradas e dar a elas uma finalidade residencial de alto padrão com segurança. 

Como o senhor avalia o mercado imobiliário atual de Foz?

Foz é uma cidade esplêndida e, apesar de termos passado por muitos momentos desafiadores no setor da construção civil, sempre procurei me manter otimista e enxergar oportunidades onde os outros viam dificuldades. Com isso em mente, encaramos desafios e buscamos antecipar tendências em todos os nossos projetos – e o desafio é maior sempre que uma obra não é iniciada do zero pela nossa equipe.  A força do turismo em Foz e as características metropolitanas que a cidade apresenta, fortalecem o mercado imobiliário local, que certamente tem várias oportunidades a serem exploradas. Por isso, estamos sempre inovando e trazendo para nossas obras o que encontramos de mais moderno em outros locais e identificamos como tendências para o futuro. 

Sunset 3635 - Natucci
Sunset 3635

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião