Formado em engenharia civil e ambiental, Assem Said Auada começou trabalhando com a construção e venda de casas populares em Foz do Iguaçu. Sócio proprietário da Construtora Átria, com o tempo ele viu a necessidade de atuar em outros segmentos que tinham carência na cidade. Então, em 2012, passou a construir condomínios fechados de alto padrão, e também inovou trazendo condomínios fechados com sobrados já construídos, algo que teve grande aceitabilidade. Entre os principais empreendimentos da Átria estão: o condomínio Concept Box I e II e o Santorini Residence. Ele compartilha sua experiência sobre o Mercado Imobiliário em Foz, confira:

Como analisam a necessidade do mercado?

O setor imobiliário está sempre se transformando e tudo o que a Construtora Átria faz, vende. Depois de inovarmos em condomínios, também passamos a fazer residenciais verticais, como o Tesla, de 40 apartamentos e o Islamorada, de 50. Decidimos também lançar dois loteamentos Ecoville, sendo um com quase 900 lotes e outro com 700 lotes. Todos foram vendidos, pois o mercado de Foz é muito dinâmico.

Loteamento Ecoville - Átria
Loteamento Ecoville – Átria.

Quais os desafios de investir no setor?

Hoje o principal desafio em Foz do Iguaçu é a burocracia que nós construtores enfrentamos na cidade, onde ela é primordial para o empreendimento dar errado. Então muitas vezes desistimos de realizar algum empreendimento devido a demora na liberação para a construção, que chega a levar mais de dois anos. Esse fator é crucial para decidirmos se vamos ou não fazer um novo empreendimento e acredito que dificulta muito a vontade das construtoras e do empreendedor de querer investir em alguma coisa na cidade.

Como é o perfil das pessoas que compram imóveis na cidade?

No nosso caso, cerca de 70% das pessoas que compram com a Construtora Átria são investidores que compram para revender. Temos a maioria das vendas na planta do projeto. Os outros 30% são clientes assíduos que compram de nós há 10 anos e estão sempre investindo para por para alugar ou morar. Com esse dinamismo no mercado e na aceitação do público conseguimos estar sempre inovando e tendo sucesso nas vendas. Então reforço que o setor imobiliário em Foz é muito promissor e seria ainda mais, se não tivesse tanta burocracia.

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião