Foz do Iguaçu é cheia de oportunidades e, quando se trata de investimentos, o ramo imobiliário é sempre um bom negócio. O empresário e gestor da Lote Grande, Caetano Ferreira Filho, migrou da advocacia para o ramo imobiliário em 2015, com a construção de casas residenciais populares e, em 2016, surgiu o interesse por loteamentos, com a criação da Lote Grande Empreendimentos Imobiliários Ao longo de sua caminhada, buscou a realização de loteamentos abertos em Foz que pudessem trazer alguma inovação para a cidade, como é o caso do Loteamento Irio Holler que possui a iluminação toda em LED. O loteamento mais recente da Lote Grande Empreendimentos Imobiliários é o Vita Village, também conhecido como Bairro do Futuro.

Por que investir em um loteamento como o Bairro do Futuro?

Sempre busquei por algo que pudesse agregar o máximo de valor à cidade e às pessoas, mudando o conceito de loteamentos abertos em Foz do Iguaçu. Tanto que a missão da empresa é essa: elevar o conceito de loteamentos em nossa cidade. Foz do Iguaçu merece o melhor, merece que cada empresário oferte seu melhor produto, o que, diretamente, influencia na qualidade de vida urbana. Investir em um loteamento como o Vita Village é acreditar que podemos mais, que o poder da mudança está em nossas mãos. Entre os diferenciais do empreendimento, está a ampliação do paver da calçada de um metro e meio para três metros, além disso, colocamos meio-fio extrusado, ciclofaixa, sistema de monitoramento com câmeras de segurança e cabeamento 100% subterrâneo – tornando o Bairro do Futuro o primeiro loteamento aberto do Paraná com essas características. Também haverá no loteamento o novo Hospital da Unimed que já está sendo construído e irá fomentar a economia da região.

Por que as pessoas buscam por loteamentos abertos em Foz?

Porque é uma forma certa de investimento. O mercado está aquecido e há uma facilidade muito grande para negociação na compra de um terreno em Foz do Iguaçu. As entradas de lotes, em geral, são de valores relativamente baixos e há, no mercado, possibilidade de pagamento do saldo em parcelas que se estendem por até dez anos – mas não são aquelas dívidas chamadas “impagáveis”, pois como o mercado está em valorização, quando se alcança metade do pagamento do valor do lote, ele já valorizou mais que o saldo devedor.

Caetano Ferreira Filho - gestor da Lote Grande
Caetano Ferreira Filho, gestor da Lote Grande. (Foto: Thaynara Pagno)

Como está atualmente o processo para abrir um loteamento na cidade?

Como todo processo de loteamento, ele segue a legislação municipal, que estabelece os requisitos e prazos para o loteador. Atualmente, em Foz do Iguaçu, está em vigor a Lei Municipal nº 372/2022, que dispõe sobre o Parcelamento do Solo para fins urbanos. Essa lei traz pontos inovadores, como a possibilidade de criação de loteamento aberto de acesso controlado e, também, veio contemplar um pedido antigo nosso, a possibilidade de o loteador substituir a doação de 15% de área para reserva técnica (áreas que são doadas para o Município realizar obras de utilidade pública) por obras que atendam as necessidades do Município, conforme o interesse público. Vejo esse ponto como inovador e extremamente benéfico para a sociedade em geral, uma vez que a Lote Grande fez um levantamento das áreas do Município recebidas a tal título desde 1999 e sua grande maioria são terrenos sem nenhuma obra. Agora, com a possibilidade de substituição, aumentamos as chances do desenvolvimento urbano organizado, já que o loteador poderá, de acordo com o interesse público, realizar obras tão desejadas pelas comunidades locais, seja com o asfaltamento de uma rua, criação de uma praça, construção de escolas públicas ou qualquer outra obra em áreas já existentes da Prefeitura que estão inutilizadas. É o caminho onde poder público e o loteador se unem em benefício da sociedade.

Você acredita que a região onde está localizado o Bairro do Futuro é a região que mais crescerá nos próximos anos?

Tenho convicção disso. O Vita Village está em uma região que tem um enorme potencial para ser explorada e a possibilidade geográfica para sua ampliação, com desenvolvimento ordenado. Em pouco mais de um ano, o novo Hospital Unimed estará em pleno funcionamento e o grupo Lote Grande já iniciou os trâmites para fomentar a economia do entorno com a construção de um centro médico e de um centro comercial. Ainda, com a conclusão da Perimetral Leste, que passará por essa região e será uma ligação entre a segunda ponte do Brasil e Paraguai com a BR-277, a tendência é potencializar ainda mais esse desenvolvimento. É, sem dúvida, o caminho para o Futuro!

Confira trechos da entrevista com ele. (Vídeo: Thaynara Pagno)

Formada em Jornalismo na UDC e pós-graduada em Relações Internacionais Contemporâneas na Unila, atualmente é jornalista da 100fronteiras e recentemente conquistou pela 100fronteiras o primeiro lugar no 1º Prêmio Faciap de Jornalismo.

Comentários

Deixe a sua opinião