A Ponte Tancredo Neves, no dia 16 de março foi fechada antecipadamente, para circulação de carros e pessoas. Porém hoje (08) quase se completam 09 meses da decisão.

É um cenário assustador, igualmente para os moradores da fronteira. Acostumados com a movimentação orquestrada pelos turistas que por lá passavam.

Mas um cenário ainda pior é observado com cautela pelos governantes da Argentina. Os números aceleradamente crescente de casos de coronavírus. Principalmente na cidade de Foz do Iguaçu a qual faz fronteira com Puerto Iguazú. Vem servindo como base para a decisão de reabertura.

Por fim cenário atual

De acordo com o portal El Territótio, o governador Oscar Herrera Ahuad ratificou ontem (07) sua posição de manter as fronteiras em Misiones fechadas. Dessa forma, devido ao aumento dos casos de coronavírus no Paraguai e no Brasil. Ele garantiu que o protocolo atual continuará em vigor.

A entrada permitiu apenas para itens considerados essenciais. Regulamento que está em vigor desde 20 de março. Quando foi decretado a quarentena total para deter o avanço do coronavírus no país.

E que, entre as medidas, determinou o fechamento de fronteiras para fins de saúde.

Por isso, considerou fundamental manter os protocolos vigentes até o momento. No esforço de preservação da população. Ele destacou o esforço no cuidado realizado pelos cidadãos para o cumprimento das medidas de saúde.

No mês de outubro a revista 100fronteiras, publicou uma entrevista com Horacio Simsolo. Que faz parte da comunicação institucional da Argentina. O qual esclareceu alguns “mitos” de que a ponte iria reabrir dia 02 de novembro.

Vale ressaltar que existe duas únicas formas de entrada no país vizinho. São autorizadas até o momento: terminal marítimo e aéreo.

“No dia 27 de outubro publicou a DNU 814/2020, e aí a Direção Nacional de Migrações (DNM) informa que decidiu viabilizar apenas duas rotas para esse fim. O Aeroporto Internacional de Ezeiza e o terminal marítimo de Buquebus, ambos em Buenos Aires.

Então esses são, por enquanto, os únicos dois pontos habilitados. Portanto para a entrada de turistas na Argentina”, completou Horacio Simsolo.

Como vemos foi apenas um mito, mas o que devemos observar com cautela são nossos cuidados diários. Se queremos que nossas fronteiras com ambos países abram. E que o turismo volte a movimentar nossas cidades devemos nos cuidar por nós e pelo próximo.

Deixe um comentário

Deixe a sua opinião