banner-foz-itaipu-foz

Hoje, dia 14, será realizado um ato em solidariedade ao povo palestino em vista da infeliz situação que está ocorrendo entre Israel e Palestina. O ato será promovido pelo Centro Cultural Beneficente Islâmico (CCBI) e irá acontecer na mesquita de Foz do Iguaçu, a Mesquita Omar Ibn AI-Khatab, das 18h30 ás 22h. 

A cúpula do templo religioso vai ser iluminada com as bandeiras da Palestina e do Brasil, em ato de solidariedade. Serão projetadas frases de apoio ao povo palestino, que vem sofrendo com a onda de violência dos militares de Israel, em Jerusalém.

O evento não contará com a presença do público, por conta da pandemia, e atenderá todos os protocolos sanitários.

Entenda a origem do conflito entre Israel e Palestina

Para entender por que esse ato de solidariedade na mesquita de Foz do Iguaçu é tão significativo, é preciso antes compreender sobre o conflito que está acontecendo entre Israel e Palestina.

O território em que a Palestina está localizada é entre o Rio Jordão e o Mar Mediterrâneo, no Oriente Médio. Com a dissolução do Império Otomano -que dominava o território da Palestina antigamente-, a Inglaterra passou a administrar a região.

Com isso, os judeus iniciaram uma série de migrações em busca de um novo lar por conta das perseguições na Europa, e encontram a região da Palestina, em 1917. Até o final de 1946, a Palestina havia virado casa para cerca de 1,2 milhão de árabes e 608 mil judeus.

A região começou a ser considerada como “Terra Santa” e “Terra Prometida” para esse povo, mas o conceito de um lugar sagrado é compartilhado também por mulcumanos e cristãos.

Então a Segunda Guerra Mundial chegou ao fim em 1945, e muitos judeus começaram a seguir a ideia de Theodor Herzi, que defendia que o lar para os judeus deveria ser em “sião” ou a terra de Israel, a Palestina, e então finalmente eles teriam um lar como os outros povos. Esses judeus sionistas então passaram a pressionar a criação do Estado Judeu.

A região foi dividida em três partes: Estado de Israel, Cisjordânia e Faixa de Gaza, e a divisão feita pela Organização das Nações Unidas (ONU), previa que 55% do território ficaria para os judeus e 44% permaneceria aos palestinos.

Começou então um conflito de território entre os dois povos, ocorrendo a expulsão de 750 mil palestinos logo no começo, com a Guerra da Independência. Houve também, em 1948, a divisão de Jerusalém em Jerusalém Oriental, sob controle arabe, e Jerusalém Ocidental, nas mãos de Israel.

Esse conflito territorial entre Israel e Palestina ainda permanece nos dias de hoje, como podemos ver com essa nova onda de violência que está acontecendo entre as duas regiões.

O conflito atual entre Israel e Palestina

Um dos principais motivos para essa nova onda de violência entre as duas regiões foi a disputa de um bairro, o Sheikh Jarrah.

Sheikh Jarrah é um bairro palestino na parte oriental de Jerusalém, porém um grupo de colonos judes está reivindicando algumas de suas terras e propriedades, ameaçando o despejo de, incialmente, seis familias palestinas

Esse bairro, além de estar na linha que divide Jerusalém Oriental e Jerusalém Ocidental, também é considerado um dos bairros mais importantes da parte Oriental. Também está localizado perto da cidade velha, em Jerusalém Oriental que é onde existem alguns dos lugares religiosos mais sagrados do mundo como o Domo da Rocha e a Mesquita de Al-Aqsa, para os muçulmanos; o Monte do Templo e o Muro das Lamentações, para os judeus; e a Basílica do Santo Sepulcro, para os cristãos.

Outro motivo para o conflito entre Israel e Palestina é que Israel quer Jerusalém como capital, sem nenhum tipo de divisão. Maio é um mês em que israelenses sentem bem o espirito nacionalista, por um calendário repleto de celebrações da ocupação da região, mas para o povo palestino, essas celebrações são uma marcação de sua resistência e de um direito assegurado mas não protegido internacionalmente de poder ficar.

O ato de solidariedade da Mesquita de Foz do Iguaçu

O despejo dessas seis famílias palestinas, tão próximo do Ramadã, mês sagrado para muitos mulçumanos, foi o estopim para a nova onda de violência e esse conflito infeliz, que está sendo marcado por sangue de crianças e adultos sendo mortos. Mas, como mostrado, as duas regiões têm uma grande história e vários “motivos” para esse conflito.

Por isso, a solidariedade de todos é muito importante ao povo palestino; eles não estão sozinhos. É uma questão que deve ser falada sobre, nunca ignorada, por isso compartilhe relatos, fotos, vídeos, grite sobre a situação que vem acontecendo com nossos amigos do outro lado do mundo.

O ato de solidariedade da mesquita de Foz do Iguaçu, a Mesquita Omar Ibn AI-Khatab, vai acontecer como um ato de uma mão amiga, estando aqui para apoiar o povo palestino.

Diálogos 100fronteiras

Deixe a sua opinião